http://filotec.com.br

http://filosofiaetecnologia.blog.br
ECONOMIA TECNOLOGIA FILOSOFIA SAUDE POLÍTICA GENERALIDADES CIÊNCIA AUTOHEMOTERAPIA NOSSOS VÍDEOS FACEBOOK NOSSAS PÁGINAS

QUEREM ACABAR COM A APOSENTADORIA

quinta-feira, 31 de março de 2011

UM PARALELO ENTRE PALAVRAS DO VICE JOSÉ ALENCAR E PALAVRAS DE JESUS

Ao falecer, o Ex vice presidente da República José Alencar teve suas palavras veiculadas pela imprensa e pela TV. 

Chamou-nos a atenção então algumas de suas palavras que revelam além de um batalhador, um homem de muita sabedoria. Veja-se portanto algumas palavras que eu gostaria de comentar tecendo um paralelo com algumas palavras do mestre Jesus.

Disse ele: "Eu não temo a morte, e sim a desonra, porque um homem honrado nunca morre e um homem desonrado já está morto." 

Essa honra a que ele se referiu com certeza não é aquela honra que o mundo dá mas é a verdadeira honra. O sentimento do dever cumprido e bem cumprido. A paz com a própria consciência.

De fato José Alencar teve um papel importante nos destinos de um país chamado Brasil. Ele tinha uma missão e cumpriu essa missão. Sua Missão foi cumprida e terminada, e depois disso ele deixou o nosso convívio, cumprindo a vontade de Deus que segundo ele não precisaria de um câncer para leva-lo. 

O seu apoio ao Ex Presidente Lula foi fundamental, tendo em vista que LULA precisou do apoio financeiro inclusive de José Alencar para chegar ao poder.

Em suas poucas mas sábias palavras, José Alencar marcou por um certo viés espiritual que revela uma fé que com certeza era o que respaldava seu otimismo e sua forma dinâmica de enfrentar a vida e as dificuldades que não foram poucas.

De fato as palavras de José Alencar são sábias porque A vida e a morte na visão espiritual tem um significado diferente da que tem para nós reles mortais. 

Para o Cristão a morte física nada significa. É importante não morrer a morte espiritual. Aquela a que Jesus se referiu nas seguintes palavras:

MATEUS 8 - 21 a 23
21 - E outro de seus discípulos lhe disse: Senhor, permite-me que primeiramente vá sepultar meu pai.

22 - Jesus, porém, disse-lhe: Segue-me, e deixa os mortos sepultar os seus mortos.

23 - E, entrando ele no barco, seus discípulos o seguiram;

Certamente essa era a morte a qual o Ex presidente José Alencar se referia. A morte espiritual. A única e verdadeira morte. A morte que se morre em vida física.


Mas e a vida? Qual era essa vida a qual José Alencar se referia que os homens honrados não morrem, ou seja vivem para sempre? Encontramos também paralelo nas palavras de Jesus quando diz:


João 11:25 e 26



25 - Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá;
26 - E todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá. Crês tu isto?
 É preciso que se entenda bem as palavras do mestre Jesus. Ele disse: "AQUELE QUE VIVE, E CRÊ EM MIM NUNCA MORRERÁ". Portanto essa morte e essa vida a que Jesus se referia não eram a vida e a morte física. Ele falava de uma vida espiritual e uma morte também espiritual.

Ele não estava se referindo à ressurreição no dia do juízo final. Ele disse textualmente NUNCA MORRERÁ. Então NUNCA é NUNCA. Não há morte para quem VIVE a vida espiritual (HONRADA) e crê em Jesus.

Talvez por isso os mártires cristãos iam para as arenas ser devorados pelos leões e cantavam antes de serem devorados. Eles não sentiam dor, nem pavor, porque ali na arena podiam ver os anjos que vinham para leva-los para o reino dos céus e ali mesmo podiam antever os gozos celestiais. tinham motivos para cantar, o que irritava o Imperador Nero, que inconformado mandava que deixassem os corpos nas arenas para verificar os rostos dos mártires e perceber que morreram sorrindo com expressão de indizível felicidade.

O imperador Nero podia matar-lhes o corpo físico, mas não podia matar-lhes a alma.


Mateus 10 - 28
28 - E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo.








terça-feira, 29 de março de 2011

LÍBIA É A BOLA DA VEZ



Como já escrevemos em matérias anteriores, os Estados Unidos da América debatem-se no presente início de milênio com a quebra do seu "esquema econômico", que está  falido, pois depois que o dólar perdeu sua paridade com o ouro do forte Knox, o dólar passou a ser apenas um papel que os Estados Unidos despejam no mundo inteiro, mas que nem tem a correspondência em valores reais e nem em serviços. Se hoje os Estados Unidos resolvessem recolher todo o dolar do mundo e o devolver em bens e serviços, não conseguiriam resgatar nem 10%. Donos da maior dívida externa do mundo que não para de crescer, dependem dos países exportadores de petróleo para continuarem a transacionar o dolar que assim continua a ter um valor artificial.  


Depois que invadiram o Iraque para força-lo a aceitar o dolar em vez de Euro ou qualquer outra moeda, agora é a vez da Líbia. O Irã está na mira. E o Brasil? Será o caso de se perguntar. Será que a Líbia não é o Brasil amanhã????
Veja matéria de Ernesto Germano, é jornalista



Tenho acompanhado atentamente o noticiário sobre os acontecimentos na Líbia e, cada vez mais, impressiono-me com a capacidade da nossa imprensa “tão livre” para deturpar fatos, esconder dados e reproduzir apenas aquilo que os donos da informação desejam que seja divulgado.

Não há isenção ou mesmo equilíbrio nas matérias. A velha regra de “ouvir as duas partes” parece ter sido esquecida pelos nossos jornalistas.


Em alguns jornais de hoje (02/03), as notícias procuram mostrar o povo líbio como pobre e igualam as condições de vida às encontradas no Egito ou na Tunísia, países onde o povo foi para as ruas para derrubar o regime. Mas esta é uma comparação mentirosa!
TRIPOLI


A Líbia tem uma balança comercial superavitária, superando 27 bilhões de dólares por ano, e uma renda “per cápita” média da população equivalente a 12 mil dólares. Isto significa seis vezes a renda média do Egito, por exemplo!


O país tem 6,5 milhões de habitantes, com um padrão de vida elevado para a região.

Comprova isto o fato de cerca de 1,5 milhão de imigrantes viverem na Líbia, onde encontram trabalho e salário digno.



COMENTARIOS DE QUEM FOI LÁ
Aparentemente, e ao contrário do que se passa nos paises vizinhos, na Libia parece viver-se sem grandes preocupações. Não posso dizer que tenha visto gente realmente pobre e que as infra-estruturas não estejam a ser melhoradas. O clima geral é aliás de contentamento. No entanto, há algo que parece... errado. Consta que o actual governo quase que assume a satisfação das principais necessidades dos seus habitantes e, por isso, é-me dito que estes não precisam de trabalhar muito para ter uma vida razoável. Se calhar a atitude desplicente e diletante que vejo nas pessoas também vem daqui. A vida de muitos parece ser feita nos cafés à conversa. Todos tem televisão por satélite e bebem coca-cola mas parece tudo um pouco ilusório. Ė como se tentassem copiar alguns hábitos mas sem saberem exactamente o porque deles existirem e simplesmente tomam por certo o que já viram alguém fazer. Sem ser crítico quanto a sua fé, parece-me que também aqui há algo mal interpretado. Em Tripoli é possível acordar às quatro da manhã e pensar que raio se passa com esta gente que é convocada para rezar a estas horas por sacerdotes de megafone em riste no topo das mesquitas. Como este chamamento há outros quatro durante o dia. À partida isto até revela carácter e dedicação, que só pode merecer o meu imenso respeito. Ou pelo menos foi esse o meu primeiro pensamento. Depois comecei a associar isso ao facto de encontrar as pessoas meio ensonadas durante o dia e a dormitar depois de almoço. Outro facto interessante: durante o ramadão e proibido comer enquanto há luz do sol, o que acaba por se traduzir em completos excessos de sobrealimentação nocturna ou, indo mais longe, em periodos de engorda quando a ideia original me parece que fosse um pouco diferente. Há assim uma série de contradições e equivocos bem marcados nesta terra de abundãncia. Se calhar há a mais. 

Muitas casas, antigas ou recentes, são envolvidas em altos muros que muitas vezes ficam em tijolo nu, dando-lhe um aspecto de bunker. A gasolina é queimada a cerca de 0.15 euro/L por isso o carro e usado para qualquer deslocacão e acima dos limites de velocidade. Não os legais mas os de segurança do veiculo. Isto deixa antever que a preocupação acerca da integridade do veiculo não representa um problema e explica o porquê de ser dificil encontrar um que não esteja todo amassado. A recolha de lixo não é regular. Há sacos de plástico a voar na cidade e no deserto onde, por vezes, representam o único movimento até onde o nosso olhar alcança. Na retina de um ocidental ficam retidos estes e outros detalhes que reflectem uma grande falta do nosso civismo e da nossa pro-actividade.






Aliás, este é um ponto curioso para analisarmos. Nos jornais de ontem, principalmente no Globo, vimos uma manchete dizendo que “milhares de imigrantes fogem da Líbia”. Ora, a notícia até seria interessante, para quem não tem um dado comparativo. Mas, se “milhares” fogem do país, o que significa isto se lá residem quase dois milhões de imigrantes?



Ainda tratando da economia líbia, os nossos jornais (tão preocupados com os leitores e a qualidade da informação) esquecem de dizer que a Líbia é um país de economia aberta. A empresa petrolífera italiana ENI realiza cerca de 15% das suas vendas a partir da Líbia, mas não é a única. Lá também operam outras “gigantes” como a BP, a Royal Dutch Shell, a Total, a Basf, a Statoil, a Repsol e muitas outras. A Gazprom (russa) também opera no país, com centenas de trabalhadores, e a empresa de petróleo chinesa tem mais de 30 mil funcionários trabalhando lá!

É verdade que Muamar Kadhafi já abandonou suas posições que o tornaram conhecido pela resistência ao imperialismo. Em 1969, quando assumiu o poder, iniciou uma política independente e nacionalizou o petróleo. Depois da guerra entre árabes e israelenses, ele liderou um boicote entre os países exportadores de petróleo contra os países que haviam apoiado Israel.

Kadhafi modernizou seu país, criando universidades e novas indústrias, além de realizar um incrível projeto de irrigação fazendo surgir uma agricultura desenvolvida onde havia apenas areias do deserto.

Em 1986 Ronald Reagan mandou bombardear a capital líbia. Em 15 de abril de 1986, Trípoli foi bombardeada por 13 modernos aviões dos EUA. O bombardeio terminou com a morte de Hanna, filha de Gaddafi, de 1 ano e 3 meses, e com outros dois filhos feridos. Hoje, o local ainda exibe os danos do bombardeio e a estátua foi erguida para relembrar o episódio.

Depois da Segunda Guerra do Golfo, Kadhafi começou a mudar sua política. Privatizou dezenas de empresas, aceitou a “receita” do FMI e abriu as fronteiras para as grandes empresas multinacionais. Começou neste momento a queda do país e a corrupção se alastrou!

Mas é preciso deixar de lado as notícias falsas da nossa imprensa e fazer uma reflexão sobre os acontecimentos na Líbia. Comparar a crise atual e o movimento oposicionista com o que aconteceu no Egito ou na Tunísia é desconhecer a realidade.

O que sabemos de concreto é que a oposição líbia surgiu em uma região onde há uma resistência muito grande ao clã Kadhafi. Mais do que isto, a Cirenaica é também a região onde operam as principais empresas multinacionais e onde estão os terminais de oleodutos e gasodutos do país. Ou seja, uma região que foi escolhida “a dedo” para ser o berço da “oposição”.


E esta informação tem ainda mais valor se ligarmos ao fato de que a chamada ?Frente Nacional de Salvação da Líbia? é uma entidade financiada pela CIA (basta conferir no site do Congresso dos EUA e constatar que está na ?folha de pagamentos? da Central).

No dia 23 de fevereiro, o poderoso “Wall Street Journal” já tocava as trombetas da guerra ao estampar em suas matérias que ?os EUA e a Europa deveriam ajudar os líbios a derrubar o regime de Kadhafi?. É preciso dizer mais?

Vou completar este texto com algumas informações que já passei em outras participações sobre o tema.

Por que os nossos jornais tão “independentes” pararam de falar de outras revoltas populares (Bahrein, Iêmen, Argélia, etc.) e só comentam o que acontece na Líbia? Qual o interesse dos EUA nesta mudança, a ponto de seu governo anunciar, oficialmente, que está deslocando suas forças militares para a região e a secretária de Estado não descartar uma intervenção?

As revoltas populares na Tunísia e no Egito, derrubando governantes “capachos” dos EUA, foram duras, mas o governo de Washington parece suportar e preparar uma “volta ao poder” por outros meios. Mas os dois países não afetavam o principal neste momento: a questão do petróleo!

A Tunísia nunca exportou petróleo e o Egito parou de exportar há alguns anos (seus poços “secaram”).

Aqui está a diferença, pois a Líbia exporta atualmente 1,6 milhão de barris por dia! E a “urgência” dos EUA para resolver a questão líbia é que as empresas petrolíferas que operam no país estão retirando seu pessoal técnico. Isto pode provocar uma nova crise de petróleo.

É verdade que os países europeus estocaram petróleo para o inverno. Mas... e se os estoques diminuírem? Lembrem-se que a Arábia Saudita também está passando por revoltas populares e em uma crise política séria.

Em julho de 2008, antes da crise se espalhar pelo mundo, o barril de petróleo chegou a valer pouco mais de 147 dólares! Se o petróleo voltar a subir, na atual crise financeira mundial, o que restará aos EUA?

Os EUA, com apenas 5% da população mundial, consomem 25% de todo o petróleo produzido no planeta e metade deste total é importado. As importações estadunidenses alcançam 11 milhões de barris diários, dos quais: 1,6 milhão do México; 2 milhões da Venezuela e o restante do mundo árabe. Pelo que, podemos ver, o país é fortemente dependente da importação do petróleo, seja lá de onde ele estiver, o que justifica as intervenções militares no Oriente Médio e em outras regiões do planeta. (Os dados são de 2008, quando escrevi um artigo sobre o tema, mas creio não estarem muito desatualizados).

Devemos assinalar que o dado mais importante, recentemente divulgado e confirmado pelas organizações internacionais que tratam do assunto, é que as reservas totais de petróleo do planeta chegam, atualmente, a 1 trilhão e 200 bilhões de barris. Ou seja, isto representa, neste momento, pouco mais da metade de todo o petróleo que a natureza produziu em milhões de anos e guardou no subsolo. E, obviamente, este petróleo vai se tornando cada vez mais caro, uma vez que as jazidas em locais de fácil exploração vão se esgotando. E, devemos ressaltar, os institutos e organismos internacionais mostram que 62% do petróleo que resta no planeta está no Oriente Médio.

Para encerrar, uma notícia do jornal Brasil Econômico:

“Estoques de petróleo dos EUA recuam em 400 mil barris! As reservas da commodity atingiram 346,4 milhões de barris. Já os estoques de gasolina caíram em 3,6 milhões de barris na mesma base de comparação, ficando em 234,7 milhões. A utilização da capacidade das refinarias recuou para 80,9% nesta semana, face aos 79,4% na semana anterior. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (2/3) pelo Departamento de Energia dos EUA (DOE, na sigla em inglês)”.

É, parece que Obama & Cia estão com urgência em resolver o problema de “direitos humanos” na Líbia!

O regime de Muamar Kadafi convidou formalmente o Brasil a integrar uma missão de observadores que acompanharia a crise entre opositores e o governo da Líbia. A proposta foi feita por autoridades do governo diretamente ao embaixador brasileiro em Trípoli, George Fernandes, durante um encontro para celebrar o “Dia do Povo” – data de refundação da Líbia, há 34 anos.




O convite ao Brasil foi estendido à União Africana e ao bloco da Conferência Islâmica. Mas dificilmente a missão de observadores, conforme os planos de Kadafi, será levada adiante. As relações entre Kadafi e o Brasil ganharam impulso com o governo Lula, que visitou o país em 2003.

Pouco antes, desembarcara no Brasil Saadi Kadafi, um dos oito filhos do ditador, que comandava a seleção de futebol da Líbia. “Lula esteve várias vezes com meu pai nos últimos anos e eles têm simpatia um pelo outro”, disse à época o filho do ditador.

Na ONU, o governo Lula esteve ao lado da Líbia em votações polêmicas. Em 2003, os dois países apoiaram uma resolução da extinta Comissão de Direitos Humanos que determinou a expulsão da ONG Repórteres Sem Fronteiras, que luta pela liberdade de imprensa no mundo. O texto havia sido proposto pelo governo Kadafi após ativistas realizarem protesto contra a presença da Líbia na presidência do órgão de direitos humanos. Em novembro de 2003, Lula esteve na Síria, Líbia, Egito e Emirados Árabes.



Andrei Netto, da Líbia



segunda-feira, 28 de março de 2011

O QUE É A AURA.


Na matéria anterior falamos sobre uma questão que pode provocar um certo furor em quem não conhece tal coisa. referimo-nos a AURA, que no caso das crianças INDIGO teria a cor azul indigo.

A representação de santos e figuras celestiais que revestem as pinturas de MICHEL ANGELO na Capela Sistina da Catedral de São Pedro e em vários templos católicos, mostram uma auréola em volta de suas cabeças. 

Porque existe essa aureola? Na verdade ela representa a AURA. Uma radiação que envolve os seres vivos e até os não vivos, consequência da atividade eletro-magnética do ser vivo. O curioso é que a côr e a intensidade da aura varia de acordo com o estado de espírito de quem está irradiando-a. Uma pessoa que eventualmente encontre-se com sentimentos negativos como raiva, medo, odio ou ansiedade, apresentará um tipo de aura que tende a ter pouca intensidade e cores mais escuras. As pessoas que eventualmente estejam amando, alegres felizes e com sentimentos positivos apresentarão auras mais intensas e com cores mais claras.

No caso dos santos e das figuras celestiais, como se supõe que sejam criaturas que estejam sintonizadas com o alto,  elas deveriam ter auras luminosas e claras.

Talvez V.S. que lê essas linhas possa pensar que eu provávelmente não teria base para esse tipo de argumento, mas nas próximas linhas irei procurar demonstrar que sei do que estou falando.

aura, é um elemento etéreo, imaterial, que emana e envolve seres ou objetos; é, por vezes, também considerada como um atributo inerente aos seres vivos.

Fotografia Kirlian da ponta de um dedo.
A forma e a cor da aura refletem o estado físico, mental e emocional da pessoa. Problemas de ordem física e/ou psicológica, ao alimentar sentimentos negativos, dariam à aura uma cor escura, como o marrom; cores claras significariam que a pessoa goza de boa saúde emocional. A aura é visualizável quando a vibração está dentro do espectro da luz entre o vermelho e o violeta. Emoções conscientes tendem a modificar a cor da pele da pessoa observada, dando às vezes uma impressão de alteração da sua textura. Estados emocionais semi-conscientes teriam maior propensão a projetar um halo luminoso, de uma distância de alguns centímetros até um metro do corpo, o que cria um efeito de campo detectável por quem esteja próximo, uma explicação para produção de simpatias ou antipatias, aparentemente gratuitas, mas que são efeitos de um fenômeno similar à influência de um campo magnético.

A aura é um campo energético que envolve o nosso corpo físico e nos dá toda a leitura emocional do nosso corpo físico. Nossos medos, nossas angústias, nossas raivas, enfim, todo o emocional. Nossa aura tem 7 faixas, cada faixa tem uma cor, cada cor está relacionada com a cor dos nossos centros de força. Assim, quando você está de bem com a vida,num estado de espírito muito bom, as cores da aura são bem vivas e bem fortes.

rabilidade. E, nos objetos, a aura cristal, expressa o poder de receber e emanar energias.

AURA DE UMA FOLHA.
Fica visível enquanto a folha está viva.
Depois que a folha é retirada do pé,
A aura vai esmaecendo até desaparecer.
A aura dos seres vivos, inclusive das plantas sempre foi visível para poucas pessoas que tem a capacidade de vê-las, e isso é tão verdade que foram representadas nas figuras dos santos católicos, entretanto a poucos anos ela foi detectada por um aparelho inventado ma Russia e depois aperfeiçoada.

Em 1939, a técnica viria a ser conhecida, na União Soviética, sob a denominação de "efeito Kirlian", em homenagem a Semyon Davidovich Kirlian, re-descobridor da mesma. O método consiste em fotografar um objeto com uma chapa fotográfica, submetida a campos elétricos de alta-voltagem e alta-frequência, porém baixa intensidade de corrente. O resultado é o aparecimento de uma aura, ou melhor, um "halo luminoso" em torno dos objetos, seja ele qual for, independente de ser orgânico ou inorgânico. A história da Kirliangrafia diz que o efeito foi re-descoberto "acidentalmente", não sendo resultado de nenhum tipo de pesquisa sistemática desenvolvida por Kirlian, que nem cientista era, e sim eletricista, porém, vários experimentos estavam sendo realizados na época, muitos dos quais eram pesquisas sobre as influências dos campos elétricos e eletromagnéticos nos seres humanos e suas possíveis aplicabilidades práticas (possivelmente militar).





A utilização da fotografia Kirlian foi aprovada em 1999 pelo Ministério da Saúde da Federação Russa para uso como ferramenta auxiliar de diagnóstico médico, na sequência de um estudo realizado na Universidade Governamental de Medicina de São Petersburgo  que sugere alterações significativas no padrão observado na bioeletrografia em portadores de asma antes e após tratamento, e correlação com o estado emocional dos mesmos. Existem atualmente diversas publicações científicas internacionais sobre o assunto, inclusive sobre diagnóstico de doenças, como o câncer.




Uma Foto Kirlian é a fotografia da ionização dos gases e vapores emanados pelo corpo, através dos poros da pele. As cores e as estruturas fractais que aparecem nas fotos nos permitem diagnosticar problemas de saúde orgânica ou psíquica.


Aura é a energia que emana de todo ser vivo. Esta energia é composta de fatores eletromagnéticos, portanto é variável.  Depressão, angústia, conflitos emocionais,  sentimento de culpa, sexualidade, entre outros, podem ser visualizados por uma foto kirlian.

Esquema que mostra a produção da fotografia Kirlian.
Geralmente coloca-se a ponta do dedo e a foto é feita.


EVIDENCIAS BÍBLICA

A Transfiguração.
Mateus 17:2
E transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz.


Significado das cores
Aura verde: Autoconfiança, capacidade de resolver problemas e de perdoar e de amar a paz; sensibilidade. É organizador, planejador e estrategista. A predominância da cor verde na aura das pessoas indica saúde e vigor. Esse tom costuma aparecer com grande intensidade na região da cabeça, pois está associado á atividade mental. Nos animais, a aura verde indica mansidão. Nas plantas, demonstra a emissão de fortes ondas de energia positiva, sendo muito comum nos vegetais dotados de propriedades curativas. Os objetos de aura verde são de uma autêntica fonte de positividade. Costumam apresentar esse tom depois de terem sido tocados por pessoas que estão de bem com a vida.
Aura amarela: Capacidade de dar e receber; ter esperanças; a saúde e a família desempenham um papel importante. Tem o dom de trabalhar em grupo harmoniosamente. O amarelo é uma das cores cinestésicas do espectro; isso significa que uma pessoa com aura desta cor tem uma reação física antes de ter uma resposta emocional ou intelectual. Quando ele entra numa sala cheia de gente, sabe de imediato se quer permanecer ou não. A predominância da cor amarela na aura das pessoas indica inteligência, facilidade para se comunicar e para aprender e supremacia da razão sobre a emoção. Nos animais, pode ser sinal de doença, debilidade física ou tristeza. Nas plantas significa falta de vitalidade, especialmente se a tonalidade do amarelo for muito fraca. Já os objetos de aura amarela costumam ser dotados de pouca energia ou emitir vibrações ruins.
Aura azul:Capacidade de cura através das próprias energias mentais e espirituais; age sobre os outros de modo agradável e calmante; altos ideais de vida; sinceridade. O Azul personifica as características do cuidado e do carinho. É a cor da aura que mais se preocupa em ajudar os outros. Predominância da cor azul na aura das pessoas indica paz interior, harmonia, saúde equilibrada. Bem estar, descanso e autoconfiança. Geralmente se manifesta com maior intensidade após um ato sexual satisfatório e durante o sono. Nos animais, a aura azul é sinal de felicidade e de satisfação com o tratamento que vêm recebendo do dono. Nas plantas, indica propriedades tranqüilizantes e analgésicas. Nos objetos, pode ser interpretadas como uma emanação de fluidos positivos.
Aura laranja: Sua busca espiritual é, na verdade, uma busca de um sentido de vida além de si mesmo. A predominância da cor laranja na aura das pessoas indica capacidade de realização, sensualidade, boa saúde, versatilidade e dinamismo. Nos animais é sinal de manifestação dos instintos (fome, sede, desejo sexual). Nas plantas, indica a produção de sementes ou o nascer das flores. Nos objetos, expressa um grande potencial energético (é comum na aura de sinos e de objetos religiosos em geral).
Aura dourada: Adora saber como e por que uma determinada coisa funciona, e lança mão de uma paciência infinita. A espiritualidade, para a pessoa de aura dourada, é o estudo da ordem superior do universo e de leis e princípios que o governam. Ele quer entender a organização mental, as leis ou as probabilidades que geraram a ordem no interior do caos espiritual. A predominância da cor dourada na aura das pessoas indica espiritualidade elevada e prosperidade. Ela surge com mais intensidade na região do tórax, pois está associada ao amor, qualidade inerente ao centro energético do coração. Nos animais, o dourado expressa felicidade. Nas plantas, simboliza suavidade e fluidos positivos. Nos objetos, mostra que foram tocados por uma pessoa bem intencionada.
Aura Vermelha: Ênfase no modo de vida material; sucesso alcançado através da dedicação pessoal completa; saúde física estável; tendência à irritabilidade quando contrariada. A predominância da cor vermelha na aura das pessoas indica vitalidade, excitação coragem e forte energia sexual. Porém se estiver muito concentrada num determinado ponto, pode ser sinal de um distúrbio. Nos animais, exprime instinto e vigor, ao passo que nas plantas está associado ao crescimento. Nos objetos, indica que eles foram tocados por alguém que estava entusiasmado ou ansioso e que os deixou impregnado dessa energia.
Aura violeta: Espiritualidade bem desenvolvida; inspirações criativas; capacidade de transformar os sofrimentos pessoais em fatores positivos para o próprio destino. O violeta é a cor do espectro mais próxima do equilíbrio psíquico, emocional e espiritual em vigor no planeta neste momento. A predominância dessa cor na aura das pessoas é expressão de poderes mediúnicos, capacidade de compreensão, saúde e mentes equilibradas.Quando surge nos animais, a aura violeta significa satisfação e fidelidade. Nas plantas, é sinal de uma força positiva tanto que as violetas e as flores de lótus que simbolizam a espiritualidade, costumam ter a aura dessa cor. Nos objetos, indica uma forte concentração energética, e, geralmente se manifesta depois que o objeto foi tocado por uma pessoa espiritualmente evoluída.
Aura prateada: Um curandeiro natural. Utiliza energia para transformar luz em energia que cura, seu maior desafio é aprender a se conhecer e descobrir seus dons especiais.
Aura Anil Índigo: A aguda perspicácia intelectual é um dos aspectos mais gratificantes e mais exasperantes, é brilhante e inquiridor, com uma inteligência que vai muito além dos conceitos mais tradicionais.
Aura cristal: A predominância dessa cor (uma espécie de névoa brilhante e branca) na aura das pessoas indica dons telepáticos, poder de cura, para normalidade, pureza e bondade. Costuma se manifestar com maior força nas mãos de massagistas e outras pessoas que lidam com cura. Nos animais é sinal de capacidade de adaptação. Nas plantas, a aura cristal tanto pode significar positividade quanto falta de vigor e vulne

quinta-feira, 24 de março de 2011

AS CRIANÇAS INDIGO

A partir de 1972, psicologos, psicoterapeutas, pedagogos, estudiosos do comportamento, começaram a observar sem saber, uma certa mudança na estrutura comportamento socio-pedagógico da criatura infantil. 

Começaram a dar-se conta de que as crianças desses ultimo período, ou seja desses últimos 30 a 20 anos apresentavam síndromes estranhas, funcionalidades especiais, uma certa forma de rebeldia, temperamento estranho e não adaptado às exigências do habitat convencional. 

Depois de largos estudos essas crianças foram classificadas como portadoras do transtorno do déficit da atenção TDA ou foram consideradas crianças portadoras do TRANSTORNO DO DÉFICIT DA ATENÇÃO HIPERATIVAS, (TDAH). Esses dois grupos considerados patológicos, ou seja TDA e TDAH passaram a preocupar os psicólogos e os educadores, porque se tornam crianças rebeldes, atrevidas que fitam-nos nos olhos e fazem exatamente o que lhes aprás. 

Estudos psicológicos tentaram estabelecer uma correlação de natureza elétrica no sistema nervoso produzindo esses temperamentos hiperativos ou reativos de crianças que não se aubmetem a qualquer orientação particularmente se impostas. 

A partir de 1982, o número delas cresceu assustadoramente e a partir de 2000 chegam elas já a casa de milhões, de crianças supostamente portadoras de transtorno da personalidade e da afetividade, o que induziu os laboratórios a produzir substancias químicas que atuando no sistema neuro transmissor e na rede de comunicações, acalmassem-nas tornando-as dóceis, capazes de reflexionar de maneira gentil e nobre. 

Surgiu então como produto das pesquisas a droga chamada RITALINA. Droga da obediência. A criança que é submetida a essa droga muda realmente de comportamento. Não se torna dócil, torna-se obediente. Não se torna afável, faz-se submissa. 

No entanto porque o assunto cresceu demasiadamente, psicólogos mais atentos e interessados na vida profunda, pertencentes às doutrinas transpessoais começaram a observar que essas crianças classificadas como TDA e TDAH apresentavam uma aura, uma irradiação em uma tonalidade muito especial, em uma tonalidade de um azul forte, na tonalidade índigo. 

Essa tonalidade é proveniente de uma planta da índia que passou a dar a cor dos BLUE JEANS e de outros tecidos e essas crianças passaram a ser chamadas também de crianças índigo por causada emanação de que eram portadoras as suas auras. 

Os estudos prosseguiram e os psicólogos como a Doutora Nanci Andy Tooper que sugeriu a palavra Índigo para essas crianças “ESPECIAIS”, abriu o campo para que outros estudiosos e psicólogos especializados em comportamento as estudassem mais detidamente. 

Foi quando outros investigadores tiveram ocasiões de verificar que são crianças irrequietas mas não necessariamente portadoras de patologias. Existem as crianças realmente TDA e as crianças TDAH mas também existem crianças com as mesmas características e que não são patológicas e nem doentes. 

Depois de estudarem detidamente, eles conseguiram fazer uma separação entre as crianças consideradas TDA e TDAH e as crianças ÍNDIGO e outras crianças que tem uma aura muito alva e que foram  denominadas crianças CRISTAIS e que foram diferenciadas  das crianças ÍNDIGO. 

São dóceis, nem sempre atendem as nossas imposições de adulto, e permanecem em uma posição de meiguice e docilidade embora façam o que lhes aprás em uma forma de auto suficiência. 

Ela nos olham como se tivessem uma consciência de quem são. Apresentam uma forma de independência e de conduta e tem algumas dificuldades na área das nossas imposições. 

Então a partir desses estudos um casal de psicólogos americanos resolveu aprofundar esses estudos e estabeleceu que a imensa maioria dessas  crianças portadoras de transtorno da atenção e também da hiperatividade, haviam crianças rebeldes mas que não eram doentes e que necessitavam de uma nova orientação psicológica e uma nova metodologia educacional. 

Eram crianças diferentes de tudo o que se tinha conhecido até então. Eram crianças que estavam na terra com uma finalidade especial, que seria a de criar biótipos para o futuro da humanidade. 

Da mesma forma dizemos nós que no passado sofremos uma transmigração por meio de crianças especiais que nasceram no meio da humanidade de então e melhoraram a nossa raça mudando o biótipo físico de então para o atual. 

Essas crianças agora viriam também proporcionar-nos uma biotipia de natureza transpessoal, de natureza transcedental, vieram para criar modelos perfeitamente intelectuais e abrirem espaço ao sexto sentido no qual nós estamos entrando lentamente. O sentido da percepção extra física, o sentido de natureza intuitiva. 

Essas crianças por incrível que pareça, conseguem comunicar-se umas com as outras através da telepatia e muitas vezes essas comunicações fazem com que elas manipulem os adultos. 

Por exemplo, se são meninas elas manipulam os genitores masculinos e se são meninos eles manipulam os genitores femininos, conseguindo manipular as mães, fazer chantagem, terminando por conseguir o que almejam enquanto que as meninas por sua vez conseguem manipulando os pais terem atendidos os seus pequenos caprichos. 

Essas crianças INDIGOS nascem e sentem-se como seres diferentes. Como seres nobres. Dão a impressão de que são até superiores aos pais. Elas acreditam merecerem estar nesse mundo. 

Esse mundo parece que foi preparado para elas e se surpreendem quando não são compreendidas ou quando as pessoas não pensam da mesma maneira em relação a sua conduta. 

Não tem problemas de não estima. Elas tem um tipo de consciência embrionária de que devem ser respeitadas e por isso dizem com muita freqüência aos seus pais o que são, deixando transparecer reminiscências de uma consciência desconhecida para nós. 

Essas crianças tem muita dificuldade de lidar com autoridades absolutas, particularmente quando essas imposições não são explicadas e não apresentam questionamentos. 

Não é o fato de dizer, “VOCÊ VAI FAZER” e ela redargui “NÃO FAÇO” e “NÃO FAZ”. Elas exigem uma outra psicologia, porque é como alguém com uma grande capacidade, que está mergulhado em um vasilhame no qual não existem os mecanismos para exteriorizar toda a sua potencialidade, e então são rebeldes e irritam-se, desequilibram-se e muitas vezes agridem. 

Recusam-se a desempenhar as tarefas que lhe são impostas, como por exemplo, espera em uma fila, ficar sentada em um lugar mais de três minutos. Elas não conseguem, porque há no seu sistema nervoso uma tal irritação e uma tal necessidade de afirmação que chega a perturbar-nos a nós outros adultos acostumados com regras e com imposições do nosso ego sempre caracterizado pelas nossas paixões. 

Elas se frustram com sistemas. Como “PORQUE TEM QUE SER ASSIM???” com as tarefas como “PORQUE É QUE EU TENHO QUE FAZER???” e com as nossas imposições se não lhes explicamos as razões a ponto de fazer-se entendidas. Costumam identificar de maneiras mais eficazes as formas de fazer as coisas, isto é, fazem as coisas, porém conforme lhes aprás. Não tem medo de ameaça, como “QUANDO SEU PAI CHEGAR VOCÊ VAI VER”. 

Ela ficam indiferentes, e quando o pai chega elas vêem e não se importam. Se são apeadas, maltratadas, gritam, esperneiam e ficam contentes porque irritaram os pais. Daí o mecanismo de educação tem que ser de natureza muito especial. 

Por fim elas parecem não se relacionar bem com pessoa alguma a não ser com aqueles que são portadores dos mesmos sintomas, e que tem as suas mesma características, o que as difere das crianças TDA ou TDAH, que são agressivas, e que se maltratam e muitas vezes trazem o caráter auto destrutivo. 

Essas crianças índigo foram classificadas em quatro tipos especiais. São crianças que fazem parte de um grupo denominado como humanistas. Se elas forem bem educadas, se receberem uma orientação consentânea ao seu estagio de especialização com disciplina, bem se vê, elas serão os futuros advogados, serão os futuros diplomatas, terão facilidade de lidar com relacionamentos internacionais, terão acuidade especial para as problemáticas da justiça e da lei porque tem interiormente um critério do que é justo, porque se consideram vítimas de um sistema injusto, e por isso mesmo elaboram critérios de justiça a benefício da sociedade futura. 

Essas crianças portanto humanistas, ai estão e aquelas que chegaram desde há algum tempo, encontram-se hoje em determinadas posições que nos tem chamado a atenção. Por exemplo, nós observamos que nos últimos anos um grupo de promotores de justiça, jovens, relativamente jovens entre vinte e trinta e cinco anos tem conseguido investigar a vida de pessoas corruptas com uma dignidade a toda prova, e se observarmos bem, nessa ultima década foram esses jovens promotores de justiça, e foram alguns jovens delegados de tal ou qual entidade de polícia, ou o que sejam que se não deixaram corromper e levantaram-se legalmente contra as pessoas de alto coturno da sociedade, na política, na religião, levando-as as barras do tribunal. 

Portanto nós observamos que houve uma mudança, porquanto esses encargos estavam sempre em mãos de pessoas idosas viciadas, de pessoas de status comprometidas, de pessoas que legislavam exclusivamente em interesse do seu ego e dos quais aos quais se vinculavam, mas de repente no Brasil e no Mundo, agora mesmo no Japão, nós vamos ter um primeiro ministro que é o mais jovem da história do Japão depois da segunda guerra mundial. 

Claro que aos cinqüenta e um anos ele não se encaixa nessa classificação, mas desejamos apresentar uma revlução. Se nós olharmos na política internacional, a mulher desde Indira Ghandi, passou a administrar países machistas e desempenharem a tarefa com uma tal pujança, que vem surpreendendo a cultura tradicional pela grande capacidade na política desenvolvida por mulheres. 

Temos agora a Alemanha na sua história pela primeira vez administrada por uma mulher extraordinária que viveu na parte Oriental sob o regime comunista e a ditadura terrível da cortina de ferro. 

Temos no Chile também outra mulher esplendorosa, para não recorrermos ao exemplo da primeira ministra Britânica Margaret Thatcher, a dama de ferro. Então estamos assistindo a uma revolução que nós não nos estamos dando conta apegados às imposições do lado negativo só temos visto na terra desastres, misérias violências e não estamos observando uma sutil mudança, uma psicosfera que anuncia até o ano de 2052 segundo informações advindas de fontes esotéricas, a mudança real para a tão esperada era de aquário. 

Claro que ainda não será o mundo dos beijinhos, da fraternidade e da plenitude. Nesse novo mundo que se nos avizinha haverá novos parâmetros que estão sendo estudados na atualidade, que estão sendo apresentados por esses humanistas e por aqueles que já vieram logo depois deles porque os INDIGOS irão preparar a nossa organização neuronial para que as crianças cristal, aqueles missionários, encontrem em nós as respostas orgânicas para desempenharem as tarefas do mundo melhor. 

O segundo grupo é de crianças INDIGO artistas. Enquanto os humanistas são portadores de um porte fisiológico que impressiona, de uma inteligência rutilante, os artistas, serão de estrutura menor porque os estudiosos dessa área chegaram a conclusão de que há um trabalho genético para lhes proporcionar a instrumentalidade para o desempenho dessas tarefas. Então essas crianças artistas estarão dentro de um grupo de sensibilidade. 

Ao dedicar-se a arte serão esplendorosos. Da fase infantil, tão irrequietos sem definir exatamente o que querem. E os psicólogos recomendam. Se eles se dedicarem a música, não compre piano. Alugue porque logo logo ele enjoa do piano e troca. É uma das características. 

Não lhes dê brinquedos muito caros, porque para a criança INDIGO é indiferente o preço. O que interessa é o brinquedo. Não diga que a criança é destruidora, ela não arrebenta o brinquedo. Ela olha como é que o brinquedo foi constituído e como não sabe desmontar ela vai tirando as peças conforme lhe agrada. No fundo é a curiosidade de descobrir a causa. Então as crianças artistas pela sua sensibilidade podem se tornar criminosos seriais. 

A maioria das crianças homicidas nos Estados Unidos e na Europa estudadas pelos especialistas, apresentavam as características humanistas e artistas porque recalcadas contrariadas criavam conflitos. 

As nossas exigências descabidas o descuidado dos pais, que preferem remunerar educadores, empregados babás, enfermeiros, para exercerem as tarefas que a eles a vida delegou e eles escolheram porque procriaram e porque quiseram. Essas crianças tornam-se rebeldes e muitas vezes matam os próprios pais. 

E aqueles que cometeram crimes ediondos na escola como aconteceu na Escócia, na América do Norte e outros países eram portadoras desses mau tratos em que a sua mente privilegiada resolveu elaborar um mecanismo de desforço, sem ter a lucidez moral, a consciência para perceber que se tratava de crime. 

Na sua insânia e na sua ignorância, falta de consciência era necessário chamar a atenção e impor. Daí não é conveniente que se pense que toda criança INDIGO será necessariamente um anjo. 

É uma criança portadora de uma alta capacidade mental, de uma grande inteligência que deve ser perfeitamente orientada para que a sua aplicação seja coroada de resultados satisfatórios quando não exitosos. O terceiro grupo são de crianças conceptuais. São aquelas crianças que tem uma capacidade imensa de penetrar no mecanismo das coisas. 

São essas crianças que se tornarão engenheiros, construtores  e que terão a visão do futuro, que apresentarão obras que despertarão a sensibilidade e que se irão revelando na construção de um mundo melhor e muito mais feliz. 

O quarto grupo é constituído pelas crianças interdimensionais. Crianças com clarividência desde os primeiros anos de vida e com reminiscências a ponto de dizer coisas que surpreendem. Terão flashes que irão ressomar do seu inconsciente profundo. Essas crianças serão aquelas que terão visões e profetizarão.

E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, Que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne; E os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, Os vossos jovens terão visões, E os vossos velhos terão sonhos; Atos 2:17

Essas observações vem a oferecer uma proposta de educadores que chegaram antes das crianças INDIGO  para preparar uma metodologia para esses seres especiais.

A melhor proposta psicológica vem de educadores. Não rotule a criança. INDIGO, NORMAL, ESPECIAL. Não rotule. Não interessa. Você saberá identificar a que grupo a criança pertence, mas não é necessário nomea-la. Cuide de educa-la. 

Não será a escola que vai educar. A escola colabora. A educação é do lar, principalmente com os pais. Não com os avós. 

Cuidado com os avós que se apaixonam pelos netos, e até os roubam dos seus pais, em um amor exorbitante e paranóico. Os avós embora sejam pais pela segunda vez tem a tarefa de ajudar na educação e não de assumi-la. Se os filhos por acaso procriam e não assumem a educação de seus filhos, os avós não devem faze-lo porque tornam-nos mais irresponsáveis. Já que geraram, assumam sua responsabilidade. Claro que existem situações especiais. Há exceções mas geralmente os avós tomam uma afeição pelos netos achando que os filhos não sabem educar, que a NORA, “aquela terrível” não é mãe, “ aquilo não é mãe “,  “é uma fera”,  e normalmente é o que o menino merece. Ele não nasceu ali por injunção do acaso. Também não se deve interferir no relacionamento do cônjuges, dos parceiros. Quem elegeu o parceiro que o suporte. 

Os pais devem sempre ser conciliadores quando passam a avós. Quando você estava educando você gostaria que seus pais interferissem nos seus métodos educacionais? Então não faça aos outros, o que você não gostava que se lhe tivesse feito. Essa é uma das regras de ouro do evangelho de Jesus. Daí a função dos avós na educação das crianças INDIGO não é de carregar ao colo, de ocultar os erros de estimular os vícios em um pieguismo de um amor paternalista e defeituoso e também não entrar na natureza da educação, levando aos pais conflitos e gerando na criança desconfiança em relação a seus pais. Quando algo lhes parecer inadequado, haverá sempre um momento próprio para uma conversa de pai para filho, de mãe para filha, de sogro para genro, de sogra para nora, mas no estado de cordialidade, evitando-se as clássicas rixas. “ELA ROUBOU MEU FILHO”, “É MINHA INIMIGA” .
- Roubou nada! Ele necessita de uma família de um lar e de uma mulher que é um papel que a mãe não pode exercer. Então vem o pai. “IMAGINA! AQUELE SUJEITO TOMAR A MINHA FILHINHA, A MINHA BONECA!
-Já acabou o tempo de brincar de boneca. Ela escolheu exatamente aquilo que está dentro da sua necessidade emocional, Da sua necessidade como ser humano em aperfeiçoamento. 

Então os avós, pais desses adultos devem contribuir com a compreensão fraternal. E se nessa família nascer uma criança INDIGO o que é muito provável, os avós podem colaborar na observação, agora que dispõem de mais tempo e de mais experiência, que acalmaram muitas ansiedades, podem ver, aquilo que os pais agitados nessa luta tremenda do dia a dia nem sempre logram captar. Convivendo mais porque estão no lar, enquanto os filhos vão trabalhar, os avós das crianças, poderão fazer observações muito judiciosas, contar acontecimentos ocorridos no dia a dia, “QUE COISA INTERESSANTE, ESSE MENINO FEZ TAL PERGUNTA..” pois nem sempre os funcionários remunerados estão dispostos a dar as informações referentes aos filhos que seriam do seu interesse, responsáveis que são pela educação dos filhos, tarefa delegada pelos pais, porquanto eles estão ali para exercer uma tarefa remunerada, e nem sempre a remuneração leva ao amor, senão levam a desincumbência de um dever profissional. Essas crianças portanto recebem hoje já uma valiosa contribuição dos missionários que as antecederam. 


Maria Montessori
 Maria Montessori por exemplo em 1903 ela criou em Roma a “CASA DE BAMBINI” “O lar das Crianças”, naturalmente seguindo os passos de FREMELL, o grande educador dos Jardins de Infância, amigo de Henrique Pestalozzi, o homem que amava as crianças com quem estudou. Maria Montessori criou um modelo de educação que 103 anos depois da casa de bambini, é perfeitamente compatível com a proposta psicológica, metodológica para a educação para as crianças INDIGO. 


CASA DI BAMBINI

A criança é um ser em formação, mesmo que tenha em seu inconsciente a presença de um adulto ela deve ser tratada como criança, e nós nos recordamos que o DALAI LAMA estava em uma conferência internacional, e viu na platéia uma criança muito pálida, um menino de seis anos. Ele comoveu-se e em um intervalo de seu seminário, chamou a criança ao palco e diante de um auditório especial e celebre, ele disse a criança: “Fale no microfone o que você quiser, o que vier na sua cabeça”. A criança levantou-se, olhou para  todo mundo e disse “EU TENHO CANCER! MAS EU SOU CRIANÇA, O QUE EU QUERO É BRINCAR. DEIXE-ME BRINCAR. DEIXE-ME SER CRIANÇA E DEPOIS CUIDEM DA MINHA DOENÇA. PORQUE EU SOU CRIANÇA.” O auditório tomado de impacto chorou copiosamente.

Já dizia então MONTESSORI. “A criança merece um tratamento especial. A nossa metodologia de educação para adultos, não pode ser aplicada de maneira nehuma na nossa educação para crianças ainda mais, portadores de um elevado QI e de um conflitivo QE (QUOCIENTE EMOCIONAL).

Mas ao lado de Montessori, merece-se mencionar a obra grandiosa de um austríaco de Viena, RUDOLF STEINER, o pai da ANTROPOSOFIA, a doutrina que estuda o SER HUMANO. Em 1929 ele criou a educação WALDORF. O método que ele iniciou na Áustria se propaga nos Estados Unidos e aparece no Brasil pela primeira vez em 1956. ele procura demonstrar que não se deve ser infantil como a criança e nem adulto perante a criança.

Estava-mos relendo o PEQUENO PRÍNCIPE, e o mesmo tem a ocasião de dizer “ COMO OS ADULTOS SÃO COMPLICADOS! “ COMO SÃO DIFERENTES!”. Em um asteróide, ele encontra um REI que lhe declara.
-Você é meu súdito.
Mas a indumentária do rei era tão grande e o asteróide era tão pequeno, que a indumentária do Rei cobria o asteróide todo. E ele perguntou.
-O que é súdito?
–Há! É a pessoa que eu governo!
–E você é um rei e não tem ninguém para governar?
–Chegou você.
– Há mas eu vou embora!
–Mas enquanto estiver aqui você tem que me obedecer. Então eu ordeno que me obedeça!
–E se eu não quiser?
–Então eu ordeno que não me obedeça.
Depois o pequeno príncipe foi para outro asteróide onde estava um bêbado, com garrafas vazias e com garrafas cheias. E o pequeno príncipe perguntou ao bêbado.
-Para que você bebe?
-Para me esquecer.
-Mas esquecer de quê?
-De que eu gosto de beber.
-E então porque você não esquece?
-Porque a bebida não deixa.
Então o pequeno príncipe vai observando como nós adultos somos infantis e complicados, e vemos em nossas brigas de adultos as vezes ciúmes, palavras que nós achamos que são contra nós porque nós achamos que somos complexados e inferiores. Sempre a culpa é dos outros.
-Como é que disse tal coisa que me ofendeu, que me magoou.


Uma pessoa que se magoa com palavras, ainda está na infância psicológica. Deve procurar um psicólogo infantil. E como nós nosdeixamos sensibilizar e perdemos a oportunidade de ser felizes, por causa dessas quinquilharias emocionais que nós cultivamos pelo prazer mórbido de ser infelizes. Não é tese nossa não. É do pequeno príncipe, escrito por Atoaine Saint Exuperi.

Rudolf Steiner


Rudolf Steiner, então propõe a educação da criança com amor. Não é a educação em que se tem um salário e se desincumbe. Educação com amor feita no lar. E a escola colabora por meio de métodos compatíveis, que são o resultado da interação pais professores. 

Quantas vezes os pais negam-se a ir a reunião onde são tratados os problemas dos filhos. Dizem.
-Há! Isso é coisa da escola. Quem disse?
Quer dizer que a escola é que tem que se interessar por nossos filhos e não o próprio pai? A escola é que tem que o corrigir e não eu? Sem ter métodos de correção. Porque esses métodos de educação e de disciplina pertencem a familia. Então com as crianças INDIGO, nós teremos um arsenal de métodos. Evitando sempre a NEGATIVA, e explicando sempre a razão pela qual devem comportar-se de maneira edificante.


PIAGET teve uma proposta que muito enriqueceu a educação nas décadas de 1960 a 1980 pela sua psicologia infantil, ricas de sons de cores e de ternura, como decodificou o cérebro infantil para poder-nos introduzir as informações, a instrução porque a educação é dada no lar. A escola instrui porque a educação é dada no lar. Então estamos vivendo esse momento de transição, e já estão também chegando algumas crianças CRISTAIS. São os grandes missionários da  transição que estão preparando a terra para as coisas que estão por vir.


Jean Piaget
 As vezes sentimo-nos melancólicos e não sabemos porque. Ansiamos o reino de Deus na terra. Não foi sem justa razão que Jesus disse-nos que o REINO DE DEUS está dentro de nós.

SOMOS TODOS CHAPECOENSES