http://filotec.com.br

http://filosofiaetecnologia.blog.br
ECONOMIA TECNOLOGIA FILOSOFIA SAUDE POLÍTICA GENERALIDADES CIÊNCIA AUTOHEMOTERAPIA NOSSOS VÍDEOS FACEBOOK NOSSAS PÁGINAS

SOMOS TODOS CHAPECOENSES

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

A INEXORABILIDADE DO DESTINO

Muita gente se engana, quando atribui a Deus a causa das suas tristezas. Conheci um amigo que até brigou comigo por isso. Ele definitivamente além de não acreditar em Deus, tinha uma certa revolta contra o mesmo, pois acreditava que determinada tragédia que ocorrera em sua vida, com a sua família fora permitida ou autorizada por Deus.

Esse pensamento vai de encontro a teoria de que Deus é amor e é misericórdia, ou seja ele além de nos amar a todos profundamente, ainda nos dá inúmeras oportunidades para que não precisemos sofrer.

Para que entremos na análise dessa questão é imperioso saber porque sofremos. 

Há uma lei universal. Essa é a lei do amor. O Universo inteiro vibra nessa vibração. A mais positiva das vibrações que é a vibração do AMOR. 

Já observaram que quem ama dificilmente adoece? E se está doente, melhora? É porque o amor faz-nos vibrar positivamente. Começamos a perceber a beleza das coisas, de uma folha que cai, do por do sol, ou seja, passamos a ficar em estado de graça. Se pisam no nosso pé nem sentimos ou perdoamos de imediato, afinal estamos felizes e nada irá estragar essa nossa suprema felicidade.

Amar e ser correspondido, mas principalmente amar é estar no paraízo. É uma pontinha do céu na terra. É por isso que os espíritos iluminados, os anjos, vivem em um êxtase permanente, porque eles além de se amarem, também nos amam e amam a todos indistintamente, inclusive a nós. Eles desfrutam da paz infinita.

Todos nós indistintamente fomos criados também para esse estado de felicidade imensa, infinita, mas para chegarmos a isso há uma estrada a ser percorrida. Primeiro precisamos aprender a amar. Por isso somos colocados em famílias na terra, para que aprendamos a amar nossas famílias, primeiramente, para que depois em um estado mais avançado possamos aprender a amar a toda a humanidade.

Alguns espíritos iluminados já atingiram esse patamar. Por exemplo Madre Tereza de Calcutá que dedicou a sua vida a cuidar dos pobres doentes do fogo selvagem na paupérrima Calcutá. Ela renunciou às comodidades da vida material, para se entregar aos cuidados dos mais necessitados. Certa vez ao ser perguntada porque fazia isso, respondeu que não o faria por dinheiro nenhum do mundo, mas o fazia por absoluto amor. O amor para ela tinha atingido umadimensão maior do que todo o dinheiro do mundo.

Logicamente nós simples mortais ainda não atingimos esse patamar de amor, como o que atingiu Jesus que deu sua vida por amor a nós, e isso não nos é exigido, pois Deus sabe que ainda não somos capazes de tais proezas, mas estamos aprendendo, e dentro desse nosso aprendizado todas as vezes que nós infringimos a lei universal do amor, criamos uma necessidade de reparação e de retorno à condição desse amor tão necessário, para que continuemos nessa marcha ascensional em direção a essa felicidade suprema a que eu tinha aludido.

Mas o que poderia ser essa transgressão a lei do amor? Qualquer ato que tenha o intuito de fazer mal. Pode ser uma palavra, pode ser um pensamento, pode ser um gesto.

Exemplo: Matar um animal, é um ato agressivo a um ser, e esse ato embora possa ter um peso pequeno na consideração dos homens, revela um caráter destrutivo, impiedoso e que precisará ser corrigido. O mesmo se dá quando jogamos um lixo na rua. Isso revela despreocupação para com o meio ambiente, pois se o meio ambiente está sujo, as pessoas sofrerão, os animais sofrerão, e nós sofreremos, portanto é um ato de falta de amor por nós próprios, com o planeta, com o meio ambiente, com os animais e com as pessoas.

Aqui citamos pequenos delitos contra a lei do amor, mas há os grandes delitos que nem precisamos citar. A Lei de Moisés por exemplo especifica alguns, como não roubar, não matar, não dizer falso testemunho contra o próximo, honrar pai e mãe, pois a esses devemos muito, pelo menos a vida. Os homens da época de Moisés precisavam de tudo bem explicadinho, mas no tempo de Jesus bastou dizer, Amar a Deus e ao teu próximo como a ti mesmo. Ai está toda a lei e os profetas. Esse amar inclui ai também o amor a si próprio, que não é tão fácil como parece.

A terra é um mundo de provas e expiações, e Jesus mesmo o disse. Na terra tereis aflições, a felicidade não é desse mundo, e isso ocorre porque o homem é imperfeito e está aqui para aprender.

Existem duas formas de aprender. Uma é ensinando, e aplicando o ensinamento, mas quando essa fórmula de aprendizagem não funciona, o que ocorre na maioria das vezes, é preciso chamar a atenção do aluno, e essa atenção é feita com algum fato que lhe toque profundamente.

As vezes quando precisamos aprender alguma coisa a vida nos dá pequenos toques que vão se tornando aos poucos mais fortes, até que o nosso estoque de oportunidades termina e então vem o puchão de tapete.

Como disse um orador proeminente, "KARMAS" não são para serem pagos. "KARMAS" são para serem superados.


O que é Karma:


Karma ou carma significa ação, em sânscrito (antiga língua sagrada da Índia) é um termo vindo da religião budista, hinduísta e jainista, adotado posteriormente também pelo espiritismo.

Na física, essa palavra é equivalente a lei: "Para toda ação existe uma reação de força equivalente em sentido contrário", ou seja, para cada ação que um indivíduo pratica vai haver uma reação, dependendo da religião o sentido da palavra pode ser diferente, mas usualmente é relacionada a ação e suas consequências.


A lei do Karma é aquela lei que ajusta o efeito a sua causa, ou seja, todo o bem ou mal que tenhamos feito numa vida virá trazer-nos consequências boas ou más para esta vida ou próximas existências. A lei do Karma é imodificável, e é conhecida em várias religiões como “justiça celestial”.

Em sânscrito, karma significa "ato deliberado". Nas suas origens, a palavra karma significava "força" ou "movimento". Apesar disso, a literatura pós-védica expressa a evolução do termo para "lei" ou "ordem", sendo definida muitas vezes como "lei de conservação da força". Isto significa que cada pessoa receberá o resultado das suas ações. É um mero caso de causa e consequência.

Apesar de muitas religiões e filosofias da Índia não incluirem o conceito de culpa, castigo, remissão e redenção, o karma funciona como um mecanismo essencial para revelar a importância dos comportamentos individuais.

No budismo, karma é usada para mostrar a importância de desenvolver atitudes e intenções corretas.
Karma e Dharma

Dharma ou darma, é uma palavra em sânscrito com diferentes significados, mas essencialmente representa uma lei ou realidade.

No hinduísmo, dharma é definido como a lei moral e religiosa que regula o comportamento do indivíduo. Também é descrito como a missão no mundo ou o propósito de vida de um indivíduo.

No contexto budista, dharma é sinônimo de bênção ou recompensa pelos bons atos praticados. O dharma, Buda e a comunidade (sangha) formam o "triplo tesouro" (triratna).

De acordo com o jainismo, dharma é a classificação dada ao elemento eterno que capacita a movimentação dos seres.

De qualquer forma, independentemente dos conceitos orientais, Deus em seu infinito amor, não deseja que soframos e por essa razão dá-nos a todos meios e formas de podermos superar nossos KARMAS que são muitos acumulados ao longo de sucessivas vidas passadas. E essa formula é praticar o inverso da falta, ou seja é praticar o bem. Praticar o amor. Para isso coloca em nossas mãos meios e formas de poder resgatar o mal que  fizemos por meio da prática de um bem equivalente.

Mas, sobretudo, tende ardente amor uns para com os outros; porque o amor cobrirá a multidão de pecados. 1 Pedro 4:8

Veja que nesse verso de I PEDRO 4:8 vem a advertência de que independente do número de erros, quando se pratica a lei do amor os nossos PECADOS, leia-se aqui, os nossos KARMAS são superados. 

As primeiras evidências de que KARMAS existem vem dos primórdios do povo Hebreu, pela palavra de Deus no monte Sinai, quando diz.

Que guarda a beneficência em milhares; que perdoa a iniqüidade, e a transgressão e o pecado; que ao culpado não tem por inocente; que visita a iniqüidade dos pais sobre os filhos e sobre os filhos dos filhos até a terceira e quarta geração. Êxodo 34:7

Quando se refere a terceira e quarta geração, não se refere ao que praticou a iniqüidade, mas aos descendentes que virão nessa família, aqueles próprios em outras vidas.

Por essa razão os discípulos perguntaram a Jesus a respeito do homem cego.

E, passando Jesus, viu um homem cego de nascença.E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.João 9:1-3

Vê-se que os discípulos acreditavam na lei de causa e efeito, pois atribuiam a cegueira do homem ao fato de que esse tivesse um KARMA proveniente do seu pecado, e que poderia também ser referente ao pai do cego, mas na verdade aquele homem tinha nascido cego para uma missão específica. Que fosse curado por Jesus para que nele se verificasse o poder de Deus, de forma a convencer as pessoas. Isso mostra que existem razões por trás de todas as coisas e que nós não podemos compreender as vezes.

Mas como se dá a determinação sobre o que haveremos de passar e o que não haveremos de passar?

Tudo o que acontece conosco tem um caráter educativo. Normalmente se a vida é uma vida de sacrifícios, isso tem um caráter educativo. Se temos bens materiais da mesma forma, pode ser uma espécie de prova, para que se veja o que iremos fazer com esses bens. É preciso que se saiba que tudo nos é emprestado. Até o nosso corpo, e tudo iremos deixar. Os únicos bens que nos acompanharão depois da passagem para o mundo espiritual serão as nossas aquisições intelectuais e as nossas conquistas morais. Se somos melhores pessoas, se ajudamos alguns ou alguém, se deixamos amigos sinceros etc... 

Os casamentos difíceis, os filhos difíceis rebeldes, os parentes rebeldes, tudo isso tem raízes no passado. Inimigos podem se reencontrar na mesma família para que se ajustem e convertam ódios passados em amor, pois pela lei universal não pode subsistir ódio. 

Todas as vezes que se odeia, se cria um vínculo magnético que irá reunir aquelas duas criaturas até que consigam converter o ódio em amor. Isso é muito bem explicado em um livro intitulado O AMOR VENCEU de Zibia Gasparetto. O livro conta a tragetoria de dois espíritos que se reencontram em diversas vidas buscando superar um ódio nutrido um pelo outro, até a solução final para isso. 

Não é por outro motivo que Jesus diz específicamente.

E por que não julgais também por vós mesmos o que é justo?Quando, pois, vais com o teu adversário ao magistrado, procura livrar-te dele no caminho; para que não suceda que te conduza ao juiz, e o juiz te entregue ao meirinho, e o meirinho te encerre na prisão.Digo-te que não sairás dali enquanto não pagares o derradeiro ceitil.
Lucas 12:57-59

Por isso é imperioso confraternizar-se com o inimigo. Pois dessa forma desfaz-se esse magnetismo.

Não é Deus quem determina o que se haverá de passar nessa vida na maioria das vezes. Quem determina isso é a nossa própria consciência, o nosso eu espiritual, ou seja o nosso inconsciente.

Quando se adentra o mundo espiritual, o foco dos nossos interesses muda. Já não ficam as preocupações com a matéria que para nós não serve mais. O interesse agora é ascender às regiões de gozo espiritual, e para isso é necessário ter energia. Essa energia só se adquire no mundo material. É conquista que se aufere superando os Karmas que são nossas dívidas e que ficam marcando-nos, pesando sobre nossa condição espiritual, tirando nossa energia e dificultando nossa entrada nas regiões iluminadas e de prazer.

Chega a um ponto em que ansiamos retornar ao mundo espiritual e pedimos para resgatar as nossas culpas, por meio de sofrimentos que concordamos em passar. Os que roubaram pedem para que sofram da mesma forma o que fizeram outros sofrerem. Os que tiraram a vida, pedem para sofrer o mesmo na carne. Ademais tudo já fica impresso no nosso psicossoma mesmo. Tudo o que fizemos de bom assim como o que fizemos de mal. 

O Pai por meio dos mentores espirituais, tentam argumentar que o peso é demais para nós, as tentações serão grandes e provavelmente poderemos sucumbir. Um plano então é traçado. Alguns amigos espirituais se comprometem a nos ajudar, aconselhar, tirar-nos de algumas furadas. Alguns espíritos que mantém um grande amor por nós, concordam até em vir conosco nos ajudar, entrando na mesma família como conjuges, como filhos etc... para amenizar nosso sofrimento, nos dar forças etc...


Do outro lado pensamos que podemos tudo, que seremos fortes, e por isso necessário se  faz a intervenção dos mentores espirituais, nossos anjos de guarda que excluem a parte que é pesada demais e que sabem que não iremos suportar.

No mundo material após o nascimento, temos a tendência a esquecer esses compromissos, que embora não recordemos ficam indeléveis na nossa intuição e moldando o nosso comportamento.

Espíritos que desejam a nossa ruína, induzem-nos às ilusões do mundo material. Bens de consumo, dinheiro, sexo, drogas, diversão, tudo aquilo que não é saudável para o espírito. Paralelamente nossos mentores espirituais nos falam, nos intuem, nos protegem. Damos ouvidos ao que mais nos impressionam, de acordo com a nossa natureza. Se mais material, se mais espiritual. Nós escolhemos nossas companhias e as cultivamos e são elas que irão nos guiar.

Quando chega o momento da provação, viramo-nos para Deus e as vezes, pode ocorrer que por ignorância, questionemos a Deus e o perguntemos, porque passamos por aquilo, sem entendermos que foram provas escolhidas por nós próprios. As vezes pedimos a Deus para nos tirar dessa furada.

Esse é um momento complicado. É como um filho que roga ao pai para que o livre de passar por determinado sofrimento. O pai vai tentar livrar a cara do filho, e nesse momento vai pesar se ele pode progredir e aprender a lição de uma forma menos dolorosa. As vezes se encontra um caminho menos doloroso e o Pai livra o filho que pede ou ameniza o quanto puder aquele sofrimento. Tem vezes que não dá, pois se o fizer, mais a frente ele sofrerá mais. É como um filho que vai tomar uma vacina e pede para não sofrer a dor da picada. O pai nesse caso não pode lhe ajudar, pois seu amor por ele lhe diz que é melhor passar pela picada da agulha do que contrair no futuro uma doença.

Cabe ao filho confiar no Pai sabendo que se ele concordou que assim foi melhor, ele o sabe porquê.

É assim que funciona a coisa.

EVIDÊNCIA PESSOAL


Cada degrau de ascensão que logres, mais te exporá a críticas e ciúmes. Os indivíduos medíocres vibram na mesma faixa de necessidade e de aspirações. Porque se confundem na vacuidade, não toleram aqueles que se destacam e granjeiam notoriedade. A evidência financeira, social, cultural, ou de qualquer matiz, faz-se pesado fardo sobre os ombros de quem a conquista. A inveja dos frívolos segue-lhe os passos, intentando diminuir-lhe o brilho e armando ciladas sob o amparo da calúnia bem trabalhada.Todos os homens que se destacam, na comunidade, são convidados a pagar alto tributo aos que permanecem na retaguarda.


Procura agir com modéstia, sem te deixares empolgar pelo brilho das situações relevantes, poupando-te, de certo modo, ao azedume e à perseguição dos insensatos. Age com naturalidade, sendo sóbrio em tudo. Os homens que muito exibem, quase sempre possuem pouco. As ações sóbrias dão paz ao espírito e alimentam o coração. Não te procures sobrecarregar com o supérfluo que os destaques humanos impõem, a fim de que isto não te perturbe a vida. Se atrais, mesmo inconscientemente, a inveja dos enfermos, receberás altas cargas de energia negativa, que te poderão alcançar.

Teus atos bons não necessitam de ser conhecidos, para que se façam comentados e adquiram valor. Eles são valiosos, embora desconhecidos. Descarta, portanto, quanto possível, a evidência pessoal, e quando as circunstâncias o exijam, não lhe vistas a pesada e fulgurante indumentária, mantendo-te simples e puro de coração, mediante o que permanecerás feliz e sem amarras com a transitoriedade das situações.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

LAVA JATO CONTIDA

É preciso que se entenda de uma vez por todas que os crimes de caixa 2 e a persecução de fundos provenientes de obras públicas para reforço do caixa dos partidos, é uma prática comum que permeia toda a atividade política no Brasil a muito tempo. Isso é assim inclusive em países desenvolvidos sob o manto legal das doações de campanhas. Normalmente quem doa são empresas que se beneficiam de uma forma ou de outra da atividade parlamentar. Querer fechar os olhos a isso é querer manter-se cego.


A saída para isso é a reforma política que retire poder do congresso, para permitir que o governo possa governar sem ter que fazer composições políticas com partidos aliados. Enquanto os partidos puderem negociar o seu apoio ao governo, para viabiliza-lo, e aprovar projetos do governo, esses sempre reivindicarão e se utilizarão de cargos e ministérios para auferir vantagens indevidas.


Outra forma de coibir isso é acabar com as campanhas políticas. Os políticos poderiam fazer debates, e se apresentar na TV em horários determinados e fazer suas propagandas. Os eleitores iriam dessa forma avaliar as plataformas de cada um, e assim não precisariam gastar com campanhas políticas.


Para piorar, a Câmara aprovou uma lei para colocar a Lava Jato contra a parede. A "Lei da Intimidação" presta-se a ameaçar juízes e promotores. Embora o Ministério Público Federal tenha o compromisso de máximo empenho para seguir, de modo responsável, investigando, processando e punindo a grande corrupção, a Lei da Intimidação impedirá essa atividade.

Da forma como ocorre hoje, a câmara dos deputados vai procurar por todas as formas frear a Lava Jato porque todos tem culpa no cartório e não desejam ser investigados. Dessa forma, e também porque o Juiz Sérgio Moro instituiu uma verdadeira ditadura de Curitiba, prendendo e conduzindo coercitivamente autoridades, ex autoridades e cidadãos comuns, inclusive mandando a polícia federal invadir e prender a polícia do Senado, estabelece-se uma verdadeira guerra entre poderes, e como o poder legislativo tem poder de criar e influenciar leis, vai sem dúvida determinar os rumos dessa investigação com pressão ou sem pressão.

A Câmara dos Deputados, na madrugada de ontem, esvaziou o pacote anticorrupção, traindo a legítima expectativa de milhões de brasileiros que esperam uma reação do Congresso contra os níveis jamais vistos de corrupção relevados pela Lava Jato.


Mostraremos que, caso aprovada no Senado e sancionada pelo presidente Temer, já não mais haverá condições do legítimo exercício da função do Ministério Público e do Judiciário na Lava Jato. Primeiro, um rápido contexto.


Há duas semanas, circulou um texto anônimo de que seria aprovado com urgência na Câmara um projeto que anistiaria a corrupção relacionada a acordos de leniência. Houve mobilização, inclusive com entrevista coletiva para informar à população de que se pretendia enterrar boa parte da Lava Jato. Os articuladores da manobra, que segundo a imprensa incluíam o líder do governo na Câmara, André Moura, desistiram.

Na semana passada, surgiu outro texto circulando e com ataque mais grave. Sob o disfarce de perdão ao "caixa 2", crimes de corrupção e lavagem de dinheiro da Lava Jato seriam anistiados, inclusive de pessoas já condenadas e presas. Os encarcerados pela Lava Jato sairiam pela porta da frente da delegacia, e nós, as autoridades do caso, constrangidos, pelos fundos. Fomos a público, mais uma vez, acusar o abuso. Retrocederam.

Nesta semana, a força-tarefa, cansada das ameaças e ataques contínuos à Lava Jato, novamente "denunciou" o mais grave atentado já cometido pelo Congresso contra a operação até agora: a aprovação pela Câmara da "Lei de Intimidação", apresentada pelo deputado federal Weverton Rocha (PDT-MA), e aprovada, na calada da noite, por voto de 313 deputados, ampla maioria. Lei da mordaça. Essa lei impediria que defendêssemos a investigação indo a público e informando a população sobre as manobras realizadas. Ela ressuscita a "Lei da Mordaça" contra promotores e procuradores. Impede que falemos com a imprensa sobre processos e investigações. 
Cabe lembrar que um dos pilares centrais da Lava Jato, a par das colaborações premiadas e da cooperação internacional, foi a comunicação social. Não é à toa que querem calar os investigadores. Não será possível falar à imprensa, ou mesmo postar informações em redes sociais, porque passará a ser crime "expressar, por qualquer meio de comunicação, opinião sobre processo pendente de atuação do Ministério Público ou juízo depreciativo sobre manifestações funcionais, em juízo ou fora dele". 
Detalhe: os advogados de poderosos réus poderão continuar bradando na imprensa supostos abusos e construindo críticas infundadas, sem que possamos fazer qualquer contraponto, desmentir ou esclarecer os fatos.
O mais grave ainda está por vir. Esse projeto revanchista reproduziu proposta apresentada por Paulo Maluf, o PL 265/2007. Com redação idêntica, a nova "Lei da Intimidação" que abre espaço para que o promotor, ou o procurador, seja condenado a uma pena criminal e a indenização quando a acusação contra um político não se comprovar na Justiça.
Além disso, a punição ficará sujeita à "interpretação" de palavras por demais vagas, o que é um atentado contra a independência do Ministério Público. Ora, o próprio Ministério Público, ao fim da ação, cível ou criminal, deve requerer a improcedência da ação se assim indicarem as provas no final da instrução.


Além disso, esse projeto de lei criminaliza a conduta das autoridades que instaurarem procedimento em desfavor de uma pessoa "sem que existam indícios mínimos" ou que ofereça ação penal "sem justa causa fundamentada". O problema é que não há parâmetros concretos para se saber o que são "indícios mínimos" ou "justa causa fundamentada". Direito não é uma ciência exata. Os conceitos são abertos e imprecisos. O promotor ou procurador poderá ser responsabilizado pela interpretação dos fatos ou da lei, isto é, pelo exercício legítimo e independente de sua profissão.

A lei abre a possibilidade, ainda, para que o próprio investigado processe o promotor, o procurador e o juiz. O acusado poderá se voltar contra a autoridade, situação esdrúxula ao nosso sistema jurídico. Não há independência do juiz, ou do promotor, quando ele não é protegido da vingança do acusado. Sem tal independência, por sua vez, não há Estado de Direito.

Retaliações

Tudo isso faz com que o juiz ou promotor fique extremamente vulnerável. A cada ação penal proposta, algumas contra mais de dez réus, o que é comum na Lava Jato, os procuradores e promotores poderão ser vítimas de dez ações de indenização. Mesmo porque, ao contrário da regra que valerá para o Ministério Público, não há pena para o abuso do direito de ação pelo acusado.

Haverá, por certo, retaliações combinadas, o que fragilizará as autoridades encarregadas pela persecução penal, especialmente dos poderosos que são aqueles que mais podem retaliar.
Cria-se, assim, um desestímulo para o combate à grande corrupção e para a acusação de poderosos por crimes cometidos, e as medidas contra a corrupção buscavam exatamente o contrário.

Lembre-se que, mesmo sem a aprovação do dito projeto, o ex-presidente Lula está processando um delegado federal porque este, no desempenho de suas funções, identificou-o como a pessoa apontada em uma suposta planilha de pagamentos escusos com o codinome "amigo". Ora, se mesmo sem lei já há retaliações no exercício da função, tenha-se certeza de que as atividades de promotor, de delegado e de juiz se tornarão inviáveis.

Há que se perceber também aqui que a atividade das autoridades encarregadas da acusação, deve ser responsável. Não é justo que haja dano a honra de um político ou autoridade sem que haja fundamentos sólidos para tal. A simples suposição sem provas concretas deve ser a nosso ver responsabilizada, para que as autoridades hajam dentro do limite da responsabilidade. Foram sem dúvida os excessos que conduziram a esse estado de coisas.

Sob outro enfoque, ainda que o Judiciário venha a absolver os investigadores acusados de supostos abusos no futuro, o trabalho nas grandes investigações será inviabilizado pela necessidade de preparar e responder inúmeras ações, civis e criminais.
Num caso como a Lava Jato, em que são processados mais de 250 réus, grande parte bastante poderosos, não haverá tempo no futuro para outra coisa exceto responder a acusações e ações sem falar nos gastos com advogados, ao longo dos mais de 10 a 15 anos pelos quais tramitam os processos criminais.

Após uma dúzia de ações, promotores e juízes vitimados pela vingança poderão concluir que o melhor a fazer é "não fazer", em flagrante prejuízo ao legitimo interesse da sociedade em ver os crimes apurados e punidos. Ferida de morte, restará, pois, a independência da atuação, causada pela ação intempestiva e abusiva do Juiz Moro que conduziu a esse desfecho.

Dois fatos a serem observados, por fim. Primeiro, que não há qualquer pertinência entre os crimes de promotores, procuradores e juízes com a Lei Anticorrupção. Desvirtuou-se um projeto de lei para nele inserir condutas criminalizadas sem relação com corrupção!

Segundo, já há diversas leis que responsabilizam promotores, procuradores e juízes nas esferas civil, criminal, disciplinar e de improbidade. Promotores, procuradores e juízes respondem como qualquer pessoa por qualquer crime, inclusive aos crimes pelos quais deputados respondem.




A razão da impunidade é a mesma para todos, falhas no sistema de justiça que seriam corrigidas pelas medidas anticorrupção que foram esvaziadas na Câmara. O endurecimento das leis viria para todos. Ainda que se queira discutir ou aperfeiçoar novas formas de punição a promotores e juízes, isso deve ser feito às claras e contará com nosso apoio, desde que não se configure como um disfarçado obstáculo ao trabalho.


Dito tudo isso, a questão que fica é: qual é o interesse que o esvaziamento do pacote anticorrupção e a aprovação da Lei da Intimidação está protegendo? Sem dúvida protege aos parlamentares que salvo raras exceções estão temendo que as consequências dessa investigação venha a atingi-los.



SERENIDADE SEMPRE. HOJE SOMOS TODOS CHAPECOENSES.



Todo homem sábio é sereno. A serenidade é conquista que se consegue a esforço pessoal e passo a passo. Pequenos desafios que são superados; irritação que se faz controlada; desajustes emocionais corrigidos; vontade bem direcionada; ambição freada, são experiências para a aquisição da serenidade. Um Espírito sereno, já se encontrou consigo próprio, sabendo o que, exatamente, deseja da vida. A serenidade harmoniza, exteriorizando-se de forma agradável para os circunstantes. Inspira confiança, acalma e propõe afeição. O homem sereno já venceu grande parte da luta.

Que nenhuma agressão exterior te perturbe, levando-te à irritação, ao desequilíbrio. Mantém-te sereno em todas as realizações. A tua paz é moeda arduamente conquistada, que não deves atirar fora por motivos irrelevantes. Os tesouros reais, de alto valor, são aqueles de ordem íntima, que ninguém toma, jamais se perdem e sempre seguem com a pessoa. Tua serenidade, tua gema preciosa.

Diante de quem te enganou, traindo a tua confiança, o teu ideal, ou envolvendo-te em malquerença, mantém-te sereno. O enganador é quem deve estar inquieto, e não a sua vítima. Nunca te permitas demonstrar que foste atingido pelo petardo da maldade alheia. No teu círculo familiar ou social sempre defrontarás com pessoas perturbadas, confusas e agressivas.

Não te desgastes com elas, competindo nas faixas de desequilíbrio em que se fixam. Constituem teste à tua paciência e serenidade. Assim, exercita-te com essas situações para, mais seguro, enfrentares os grandes testemunhos e provações do processo evolutivo. Sempre, porém, com serenidade.



domingo, 27 de novembro de 2016

FIDEL CASTRO FOI BOM PARA CUBA?


Antes da revolução cubana o que era Cuba? Cuba era o quintal dos Estados Unidos da América. A política Americana para os pequenos países da América Central e Caribe era a mesma política destinada a América Latina, ou seja, manter esses países na miséria.

De fato a população Cubana antes da revolução era pobre, vivia em cortiços e servia para "LEVAR AS MALAS DOS GRINGOS" que visitavam a ilha para jogar nos cassinos, e passar férias em mansões tropicais de luxo. Os Americanos que visitavam cuba para passar férias tinham carrões dos anos 50 e mansões com piscinas e próximos a paraísos tropicais de uma das regiões mais belas do planeta.


Antes de 1959, Cuba era um país que vivia sob forte influência dos Estados Unidos. As indústrias de açúcar e muitos hotéis eram dominados por grandes empresários norte-americanos. Os Estados Unidos também influenciavam muito na política da ilha, apoiando sempre os presidentes pró-Estados Unidos. Do ponto de vista econômico, Cuba seguia o capitalismo com grande dependência dos Estados Unidos. Era uma ilha com grandes desigualdades sociais, pois grande parte da população vivia na pobreza. Todo este contexto gerava muita insatisfação nas camadas mais pobres da sociedade cubana, que era a maioria.



Enquanto os milionários americanos vinham passar as férias nas mansões tropicais de Cuba e jogar nos cassinos livres da influência do fisco Norte Americano, as favelas abrigavam os Cubanos. Se não fosse a revolução Cubana, Cuba seria hoje igual aos países que o circundam como o Haiti, República Dominicana, Jamaica ou Porto Rico. Países pobres com Indice de desenvolvimento Humano muito baixo.



Fidel Castro era o grande opositor do governo de Fulgêncio Batista. De princípios socialistas, planejava derrubar o governo e acabar com a corrupção e com a influência norte-americana na ilha. Conseguiu organizar um grupo de guerrilheiros enquanto estava exilado no México.

Desaparecimento de Ernesto Che Guevara e a luta contra a opressão imperialista Neoliberal.

ERNESTO CHE GUEVARA

Em 1957, Fidel Castro e um grupo de cerca de 80 combatentes instalaram-se nas florestas de Sierra Maestra. Os combates com as forças do governo foram intensos e vários guerrilheiros morreram ou foram presos. Mesmo assim, Fidel Castro e Ernesto Che Guevara não desistiram e mesmo com um grupo pequeno continuaram a luta. Começaram a usar transmissões de rádio para divulgar as ideias revolucionárias e conseguir o apoio da população cubana.

O apoio popular

Com as mensagens revolucionárias, os guerrilheiros conseguiram o apoio de muitas pessoas. Isto ocorreu, pois havia muitos camponeses e operários desiludidos com o governo de Fulgêncio Batista e com as péssimas condições sociais (salários baixos, desemprego, falta de terras, analfabetismo, doenças). Muitos cubanos das cidades e do campo começaram a entrar na guerrilha, aumentando o número de combatentes e conquistando vitórias em várias cidades. O exército cubano estava registrando muitas baixas e o governo de Batista sentia o fortalecimento da guerrilha.

Tenho ouvido críticas aos Comunistas e aos Socialistas que são taxados de sujos, decadentes e outros termos mais, porém vamos analisar os prós e os contras do povo Cubano que foram a experiência socialista fora da União Soviética no Mundo.


Com uma taxa de mortalidade infantil de 3,76, Cuba figurava como o país latino com as melhores condições de saúde para as crianças. A mortalidade anual também era uma da menores do mundo: cerca de 5,8 mortes anuais por mil habitantes, número melhor que o registrado nos Estados Unidos (9,5) e no Canadá (7,6) no mesmo período. Existiam 190 habitantes para cada cama de hospital, um número um tanto à frente da média dos países desenvolvidos (cujo índice situava em torno de 200 habitantes por cama). O número de médicos também era expressivo: existia um médico por 980 pessoas, uma taxa que na América Latina só perdia para a Argentina.


O IDH

O IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) é uma nota que classifica a qualidade de vida com base na educação, saúde, longevidade, mortalidade e outros índices de um país. Varia de Zero a Um, sendo Um classificado como o melhor e Zero como o pior.

De acordo com dados divulgados em 2009, pela Organização das Nações Unidas (ONU), o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país é 0,863.Portanto CUBA tem um índice de desenvolvimento humano superior ao do Brasil e ao de muitos outros países latino americanos, e da América Central. 

Pelo que podemos entender os pontos fortes da política Cubana são, educação de qualidade e acessível a todos. Formação profissional de alto nível, saúde de boa qualidade e acessível a todos, acesso a moradia e saneamento básico, incentivo a prática de esportes. (Cuba é hoje uma das nações que mais se destaca em olimpíadas).

Em contrapartida, Cuba tem dificuldade de acesso a bens de consumo como televisões, geladeiras, computadores e carros. Os computadores e o acesso a Internet foram liberados no governo de Raul Castro, mas a maioria da população não tem acesso a eles pois são ítens ainda caros. Isso gerou no país uma enorme demanda reprimida, e as empresas do mundo inteiro gostariam de aproveitar esse filão de negócios.



De forma geral podemos perceber que se não fosse Fidel Castro, provavelmente, Cuba seria hoje um país pobre semelhante aos seus vizinhos.



Desconsiderando todos os países do continente africano (que ocupam as últimas posições) temos o Haiti como a pior nação quanto a este número.


Os haitianos, que sofreram em 2010 um devastador terremoto, tem um índice de aproximadamente 0,456, ocupando a desonrosa 161º posição, com base na lista publicada neste ano que foi elaborada com dados do ano passado pela ONU.

SITUAÇÃO DA REPÚBLICA DOMINICANA

Bem próximo a República Dominicana tem um IDH considerado alto, e próximo do Brasil, mas inferior ao Cubano
Densidade demográfica: 210,26 hab./km² (estimativa 2016)

DADOS CULTURAIS E SOCIAIS:
Composição da População: eurafricanos (74%), europeus (15%), afro-americanos (11%).
Idioma: espanhol (oficial)
Religiões principais: cristianismo (cerca de 95% da população)
IDH: 0,715 (alto) - Pnud 2014
Esperança de Vida: 75,2 anos (ano de 2016)
Analfabetismo: 8,6% (ano de 2015)



A tomada do poder e a implantação do socialismo


No primeiro dia de janeiro de 1959, Fidel Castro e os revolucionários tomaram o poder em Cuba. Fulgêncio Batista e muitos integrantes do governo fugiram da ilha.

O governo de Fidel Castro tomou várias medidas em Cuba, como, por exemplo, nacionalização de bancos e empresas, reforma agrária, expropriação de grandes propriedades e reformas nos sistemas de educação e saúde. O Partido Comunista dominou a vida política na ilha, não dando espaço para qualquer partido de oposição.

Com estas medidas, Cuba tornou-se um país socialista, ganhando apoio da União Soviética dentro do contexto da Guerra Fria.


Trecho do filme "SCARFACE" de Brian de Palma que retrata a formação da comunidade Cubana nos Estados Unidos. O filme não deixa de ser uma propaganda Norte Americana contra o governo Cubano.

Até hoje os ideais revolucionários fazem parte de Cuba, que é considerado o único país que mantém o socialismo plenamente vivo. Com a piora no estado de saúde de Fidel Castro em 2007, Raul Castro, seu irmão, passou a governar oficialmente Cuba, em fevereiro de 2008.

NOTA: O governo de Fidel Castro não tem o nosso irrestrito apoio, porque somos a favor da Democracia, e o governo Cubano é um regime totalitário a exemplo da União Soviética e da China, apesar disso, Cuba hoje tem o irrestrito apoio populacional, que reconhece no SOCIALISMO um valor que não deve ser perdido. Por outro lado a violência da implantação do governo Cubano foi considerável. Muitos foram mortos por fuzilamento. Se por um lado isso saneou o país, por outro lado abriu feridas que até hoje sangram. Esses foram os erros. O autoritarismo e a violência.



sábado, 26 de novembro de 2016

PORQUE ACREDITO EM LULA.


Posso até mudar de opinião, mas até o momento aposto no Lula, porque não existem provas contra ele, e percebo que os inimigos do Lula na falta de provas querem ganhar no grito. A operação Lava Jato que tinha como objetivo neutralizar o Lula entra em uma fase crítica, porque o tempo vai passando e as provas não aparecem. Não apareceu uma conta no exterior, não apareceu nenhuma propriedade em nome de Lula, não apareceu absolutamente nada, a não ser alguns políticos que dizem que ele sabia, o que a rigor não é uma prova.

Paulo Henrique Amorin

Tive o trabalho desagradável de assistir toda a oitiva do Senador Delcidio Amaral e pude observar que ele afirmou que o "LULA SABIA". Então os advogados do Lula pediram a ele para informar um nome de alguém que pudesse afirmar que ouviu o Lula falar sobre o que sabia. Ele então disse que todos sabiam, inclusive a torcida do flamengo.




Nesse ponto cabe observar que "SABER" todos podem saber, mas para que se apresente queixa, para que se formalize uma acusação é preciso apresentar provas. Não basta ter uma opinião ou ter ouvido alguém falar. É preciso apresentar documentos, uma conta no exterior, uma propriedade incompatível com a renda ou qualquer coisa que possa servir como indício, mas ai o Delcidio não teve como apresentar. Inclusive os advogados observaram que os "empresários" não tinham mencionado o nome de Lula em seus depoimentos.



Temos que entender que o processo de arrecadação de propina proveniente de obras públicas é um processo que já existe a muito tempo e esse processo já vem desde a ditadura militar pois foi essa quem o instituiu, tornando-o "SISTÊMICO" como afirma o Juiz Sérgio Moro. 

Esse sistema de arrecadação proveniente de obras está presente em todos os estados, em todos os municípios e também nos governos federais desde remotas épocas, e a culpa disso não é dos governos ou dos políticos. A culpa disso é do nosso sistema político que tira poder do presidente da república e o coloca na mão do congresso.

O congresso hoje, a câmara dos deputados, terá sempre a palavra final em todos os projetos, pois se a câmara aprovar um projeto, esse irá para o senado e depois para a aprovação do Presidente da República. Se o presidente vetar, o projeto volta para o congresso que poderá derrubar o veto. 


Portanto o congresso terá sempre a palavra final em qualquer projeto. Uma maioria na câmara dos deputados, pode governar o país e até tirar o presidente da república. Não é necessário ter motivo. O motivo pode ser forjado pois o julgamento será político e não pelo mérito, como de fato aconteceu com a ex-Presidente Dilma.


Portanto para que o Presidente tenha condições  de governar, sempre terá que compor com os deputados do congresso, e essa composição envolve propina, porque os partidos políticos querem ministérios e cargos unicamente para conseguir desviar recursos para os seus caixa dois.

Isso não é invenção do Lula. Isso sempre funcionou assim aqui no Brasil e em outras partes do mundo.

Portanto é urgente fazer uma reforma política para retirar do congresso o seu poder. O Presidente tem que ter poder para VETAR qualquer projeto. O Governo tem que ter poder para estabelecer políticas monetárias que hoje são atribuições do Banco Central, que se tornou autônomo.


quinta-feira, 24 de novembro de 2016

PORQUE PERSEGUEM LULA.


SERGIO MAMBERTI

Paulo Henrique Amorim


A destemida deputada comunista Jandira Feghali, que denunciou o Estado de Exceção (o Fascismo reinante) num lançamento do livro “O Quarto Poder”, no Rio, disse.

"Quanto mais o PiG ignora, mais o livro vende… “O Quarto Poder” é uma prova provada da irrelevância da “oposição da Globo, da oposição da Veja, e a oposição dos outros jornais”."

Jandira descreveu a fúria santa que hoje domina o espírito do Lula: foi o que ela pode observar no evento do aniversário do PT.

Lula vai pra cima!, ela tem certeza.

Chega!

Disse ela, com a lucidez de sempre: até quem odeia o Lula se pergunta – mas, por que essa perseguição ao Lula se o Cunha está solto!

Por que essa perseguição à D Marisa, e a mulher do Cunha está solta!

Nem precisa falar das 1001 delações contra o Aecím, de sua irremediável participação nos crimes da Lista de Furnas – que documentário espetacular, aquele do DCM!

Não precisa, pensa a Jandira.

Basta comparar o destino do Lula com o do Cunha.

Da mulher do Cunha com o da mulher do Lula.

Isso qualquer um entende.

Ao chegar a São Paulo, o ansioso blogueiro pegou um pernambucano no comando de um taxi.

Um pernambucano de uma cidadezinha perto de Garanhuns.

E fez a pergunta que faz a todos os motoristas de taxi pelo Brasil afora.

- O senhor tem filhos?

- Tenho. Uma menina.

- Ela estuda?

- Estuda.

- O que?

- Ela entrou na Faculdade de Moda e acaba de ganhar uma bolsa de estudos para acabar o curso de Inglês, porque tirou notas muito boas.

- Eu vou lhe contar uma coisa. Eu faço essa pergunta a todo motorista de taxi. Eu não sei dirigir. Eu conversa com muita gente. E nove entre dez motoristas com quem eu converso me dizem que tem um filho da faculdade.

- É mesmo?

- É mesmo. Nove em dez. E sabe a quem eles devem isso?

- Já sei o que o senhor vai me dizer: ao Lula.

- Exatamente. Ao Lula, mas eles todos votam nos tucanos!

O pernambucano me disse:

- Olha, eu votei no Lula… mas depois, depois resolvi não votar mais pra presidente.

- É porque o senhor foi envenenado pela Globo.

- É verdade. A Globo só mostra coisa ruim.

- E não mostra que a sua filha entrou para a faculdade e vai concluir o curso de inglês por causa do Lula. Sabe por que?

- Como assim?

- Há quanto tempo o senhor trabalha no aeroporto?

- Ah, faz uns quarenta anos…

- E o senhor percebeu que o serviço aumentou?

- Claro!

- E por que?

- Porque aumentou o número de passageiros.

- Porque os pobres passaram a andar de avião, não é isso?

- É verdade.

- E o senhor viu isso na Globo?

- Não!

- Então, desliga a Globo que o Brasil melhora!

- É verdade.

- O senhor acha que o Lula vai preso?

- Não!

- Por que?

- Porque… porque ele pode ter até feito umas coisas esquisitas… mas não merece ser preso…

- Por que?

- Porque é perseguição! É sacanagem!

O ansioso blogueiro está convencido de que a maré mudou.

Houve uma mudança de maré.

Ficou claro que o objetivo da Lava Jato e desses Procuradores que operam no wi-fi de Deus é e sempre foi prender o Lula.

Que o Janot e esse Ministério Público tucano de São Paulo estão unidos na missão de prender do Lula.

Que a PF grampeia mictório de preso e toma partido: é aecista declarada.

Não conseguem mais esconder.

Que o Gilmar, que vai tomar um processo do ansioso blogueiro por abuso do poder político e do dinheiro - que o Gilmar vai querer prender o Lula no TSE, depois de derrubar a Dilma.

A máscara deles todos caiu.

Com a ridícula, fascista, patusca – diria o Eça de Queiroz - “marchinha do ridículo , como o Mino – sempre ele! - mostrou na capa da Carta Capital.

A Lava Jato virou a marchinha do ridículo.

Não vem ao caso!

A parcialidade do Sistema Moro – que engloba o Janot, o MP de São Paulo e a PF (a do zé), com o PiG desmoralizado – ultrapassou o limite da tolerância do pernambucano que não vota mais no Lula.

A maré mudou!

O sentimento de que se trata de uma perseguição se espalhou.

O Golpe era isso: prender o Lula.

E fracassou!

É provável que aquele discurso do Lula no Rio e a destituição sumária do zé – pelo discurso provocada, como se disse na TV Afiada - é provável que a simultaneidade desses dois movimentos tenha feito as ondas do mar mudar de curso.

A maré mudou!

Bate, Lula!

Pode bater!

O pernambucano entendeu tudo!

Em tempo: segundo ansioso blogueiro, não acabou a serventia do Cunha. Antes de ser preso, ele tem que doar o pré-sal à Chevron.



Por Paulo Henrique Amorim, do Conversa Afiada