http://filotec.com.br

http://filosofiaetecnologia.blog.br
ECONOMIA TECNOLOGIA FILOSOFIA SAUDE POLÍTICA GENERALIDADES CIÊNCIA AUTOHEMOTERAPIA NOSSOS VÍDEOS FACEBOOK NOSSAS PÁGINAS

Postagem em destaque

BITCOIN - O DINHEIRO DO SÉCULO XXI E QUE NÃO PODE SER CONFISCADO PELO BACENJUD

Na primeira vez que ouvi falar de Bitcoin fiquei meio receoso. Como assim uma moeda digital trocada em rede e que não tem nenhum governo...

domingo, 25 de setembro de 2016

LULA 2018. - Só a prisão tira ele, mas cadê a prova? QUE COMPLICAÇÃO PARA A DIREITA NEOLIBERAL

sábado, 17 de setembro de 2016

A FILA INEXORAVEL DA MORTE

"Todos nós estamos numa fila invisível da morte e que ninguém sabe o numero da senha, daqui a pouco alguém grita a sua senha "14" e era você.”

A maioria de nós não gosta de pensar nisso. Como dizia um sábio oriental, vivemos como se não fossemos morrer e morremos como se não tivéssemos vivido.
Essa é uma foto de 1910, portanto a 107 anos. Provavelmente todas essas pessoas que estavam na fila da morte nessa época já encontraram a sua vez, apesar de estarem saudáveis nessa época.

Temos nossos apegos. Nosso carro, nossa casa, nosso trabalho, nossos livros, nosso quintal, nossos bichos, e de repente viajamos e nunca mais voltamos. As coisas ficam para trás do jeito que estão. A chícara de café pela metade, o livro pela metade, a obra que iríamos fazer, a necessidade insubstituível dele ou dela. Tudo, absolutamente tudo é como um estalo. Fica tudo para trás.

NEW YORK, 1910. Imagem de pessoas e realidades que desapareceram.

Se as pessoas refletissem sobre essa realidade imutável da vida, uma realidade inexorável, provavelmente iriam rever suas atitudes, seu comportamento, suas prioridades, e teriam um juizo de valor relativo sobre todas as coisas, porque todas as coisas que existem não são nossas. Nem o nosso corpo. Estamos com elas até quando? Podemos ter só mais um minuto, ou nem isso, como poderemos te-los por mais dez anos e como passa rápido dez anos, ou mais vinte ou trinta, mas depois iremos deixa-las todas absolutamente todas.



E essa fila anda, e nós não nos apercebemos. Todos os dias mais e mais pessoas passam por esse portal sem volta, e só nos damos conta quando alguém próximo ou famoso parte, e para onde foi?


Nessa ilustração os evangélicos procuram mostrar que existem várias realidades no mundo espiritual, em que o "SEIO DE ABRAÃO" seria uma região de acolhimento dos espíritos que não estivessem direcionados ao "LUGAR DE TORMENTOS" que ainda não é o inferno, entretanto essa ilustração é uma pálida tentativa de representação da realidade. No mundo espiritual existem várias regiões com gradações diferentes que vão da pior das realidades até a mais deslumbrante delas. Os homens pelo seu grau de imperfeição estão longe das mais elevadas, não tendo nem condições de chegar perto. Só Jesus chegou, mas podem ser direcionados a regiões de consolo e refazimento que são as colônias espirituais, como o "SEIO DE ABRAÃO".


Existe depois da morte muitos lugares para onde se ir. Isso é o que nos informa aqueles que foram e depois vieram contar a história. A Bíblia por exemplo, na parábola do Rico e de Lazaro, conta que depois da morte, Lazaro foi para o seio de Abraão e o Rico para um lugar de tormentos. Embora pudessem comunicar-se, não podiam passar de um lugar para o outro.





O Seio de Abraão era portanto um lugar agradável. Um lugar de consolo, como se diz, e o Rico estava em um lugar desagradável, um lugar de tormentos.


Portanto depois que se atravessa o portal da morte, pode-se ir para lugares agradáveis e desagradáveis e que estão relacionados com as nossas escolhas.


A Biblia também se refere a uma coisa que ela denomina "VIDA ETERNA". Vida eterna equivale a dizer que esse é o destino esperado para nós, e quando se analisa a palavra "VIDA" significa estar bem e não mal. Portanto se alguém entrou na "VIDA ETERNA" entrou para um estágio de bem estar eterno, mas existe um estágio de existência que é chamado de morte e que não é necessariamente a morte fisica.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

DISCURSO DE LULA APÓS SER ACUSADO SEM PROVAS PELO MP.

Por uma hora e nove minutos, num hotel em São Paulo, num pronunciamento sereno e emocionado – chorou em três momentos – o Presidente Lula se colocou à disposição da Justiça para o que for necessário, porque não tem nada a temer.



Lula respondeu aos “crimes” sem prova apontados, por convicção”, pelos Procuradores da Lava Jato.
“Tenho 70 anos e pretendo viver mais 20.”
“Não tenho tempo de parar!”
“Essa meninada que tá na rua não é um Lula. É um Lula de 71 anos multiplicado por milhões de jovens!”
“Só Deus me fará parar!”
- Conquistei o direito de andar de cabeça erguida (lágrimas).
- Respeitem a minha família.
- Sou pai de cinco filhos e avô de sete netos.
- Respeitem a D. Marisa (lágrimas).
- Não conheço a família desses meninos (os procuradores), mas não são melhores que os meus meninos.
- O problema da primeira mentira é que você tem que mentir a vida toda.
- O Janot deve estar pensativo. O STF deve estar pensativo. Algum delegado da PF deve estar pensativo: eles não tem como entregar esse produto (a minha corrupção)…
- Provem!
- Se provarem que eu roubei, eu vou a pé para a cadeia.
- Ontem, senti uma forte indignação.
- Nunca pensei que podia passar por isso.
- Já tinham invadido a minha casa.
- Levantaram o meu colchão para se ver tinha Ouro de Moscou lá embaixo.
- Abriram a porta da casa do meu filho com o pé na porta!
- Roubaram meus discursos oficiais e só devolveram as pastas – deve ser pra me plagiar!
- Achei que era um homônimo, um Lula que cometeu aqueles crimes todos.
- Pensei em fugir para a China!
- Será que estou com uma doença mental e esqueci os crimes que cometi?
- Esses meus acusadores e uma parte da imprensa estão mais enrascados do que eu.
- Não existe mais a lógica do processo, mas a lógica das manchetes!
- Construiram uma mentira, um enredo de novela e agora chegou ao fim: eles têm que acabar com a vida política do Lula!
- Quando a Dilma se reelegeu, aí acumulou a raiva.
- Eles endoidaram: será que o Lula vai voltar?
- E começaram a contar mentira e tornaram uma mentira em verdade!
- E naquele dia da vergonha, na Câmara, a mentira venceu.
- Eu cheguei a pensar que o Senado tinha um nível superior.
- Mas o Senado se apequenou e ficou do tamanho da Câmara.
- Tínhamos 22 e acabamos com 20!
- O problema deles é que eu tinha que ter fracassado.
- O Fernando Henrique até torceu para eu ganhar, porque ele achava que o Cerra ia se reeleger, eu ia fracassar e ele ia voltar nos braços do povo.
- Eu não fracassei.
- Meu objetivo era muito simples: se eu acabar o Governo e todo brasileiro puder fazer três refeições por dia, eu não fracassei.
- Mas, aí, eu vi que podia fazer mais.
- E fizemos o maior programa de inclusão social da história desse pais.
- E uma política externa altiva e ativa: eu fui a todas as reuniões do G-8.
- E isso era tudo o que o Sociólogo queria na vida: ir ao G8… (risos).
- A mídia e o Poder Judiciário queriam me tirar em 2005.
- Estou acostumado…
- O Lula sangrou mas ganhou…
- Ontem fizeram um show de pirotecnia.
- E não têm provas.
- Mas “convicção”.
- Convicção tenho eu: esse país pode ser melhor!
- Eles não têm prova, mas eu tenho: fiz o maior programa de inclusão social deste país.
- Sei de onde vim e para onde vou. Sei quem não me quer e sei quem quer que eu volte!

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

NÚMEROS QUE NÃO BATEM NO CASO LULA.


Estamos assistindo no Brasil uma nova modalidade de golpe. Não só foi necessário tirar do poder uma presidente democraticamente eleita e que não cometeu nenhum crime, como também é necessário inviabilizar a candidatura de Lula para as próximas  eleições porque ele aparece em primeiro lugar na lista de candidatos.


Lula e Marina lideram corrida para 2018; tucanos despencam.



Então para inviabilizar essa acusação que só tem lugar no imaginário daqueles que desejam desesperadamente prender Lula, eles criam essa ilação em relação a um apartamento no Guarujá que comprovadamente não é de sua propriedade, e um sitio que custa menos do que uma Kitnet na Barra da Tijuca, bairro nobre do rio de Janeiro.

Entretanto é só analisar os números que é fácil visualizar o tamanho do absurdo. 

A denúncia abrange três contratos da OAS com a Petrobras e diz que R$ 3,7 milhões em propinas foram pagas a Lula. Os crimes imputados aos denunciados são corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro. Caberá à Justiça decidir se eles se tornarão réus.
O MPF pede a indenização de R$ 87,6 milhões, que deve ser paga pela OAS e também por Lula, além de R$ 58,4 milhões, a serem pagos por Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, e Agenor Franklin Magalhães Medeiros, ex-executivo da OAS.
Segundo o procurador, Lula recebeu propinas de forma dissimulada, por meio da reserva e reforma de um apartamento triplex em Guarujá, no litoral de São Paulo, e do custeio do armazenamento de seus bens. Dallagnol afirmou que há 14 conjuntos de evidência contra o ex-presidente, que teria sido o "maior beneficiário do esquema".
A denúncia do MPF diz que todo o mega esquema envolve o valor de R$ 6,2 bilhões em propina, gerando à Petrobras um prejuízo estimado em R$ 42 bilhões.

A denúncia fala em propinas de R$3,7 milhões, mas no início falavam que a reforma do apartamento fora de 1 milhão e o sítio no Guarujá custou R$600 mil reais.

Mas o prejuízo foi de 6,2 BILHÕES que gerou um prejuizo de 42 BILHÕES. E o Ministério Público Federal pede indenização de 87,6 milhões de reais mais 58,4 milhões a serem pagas pela OAS, Leo Pinheiro e Lula.

Então os valores não estão batendo, porque os dirigentes da Petrobras que articulavam o esquema, conseguiram amealhar muito mais do que 100 milhões. Então como o chefe do esquema que eles dizem ser Lula iria se contentar com um sitio que vale 600 mil reais, menos do que o valor de um Kitnet na Barra da Tijuca, ou com uma reforma que eles diziam ser de um milhão de um apartamento que não era dele?

Além do mais, se a OAS fez a reforma do apartamento ou do sitio, isso a princípio não significa que estivessem fazendo isso em troca de algum favorecimento seja em relação à Petrobras ou a qualquer outro empreendimento.

Toda a denúncia não foi baseada em provas, mas somente em suposições, e em palavras vazias de comprovação como "NOS LEVA A CRER..." e outras baboseiras mais. 

E o mais interessante disso tudo é que o mundo assiste a esse espetáculo, já percebendo tudo o que está por trás desse golpe. Isso um dia virá a público, e os personagens desse grotesco espetáculo talvez tenham que se explicar e talvez sejam eles quem estarão no banco dos réus, por causa dessa armação.

Segundo o jornal, Bumlai declarou ao delegado Márcio Anselmo - o mesmo que intimou, sem sucesso, a esposa e o filho de Lula, na semana passada - que "esteve no sítio a convite de Fernando Bittar e Marisa, na companhia deles, no final de 2010. Na ocasião, Fernando disse que comprou o imóvel com recursos do pai mas que seria para uso das duas famílias."


A farsa protagonizada pelo MPF hoje, ao apresentar uma denúncia esdrúxula contra Lula, tem um único objetivo: dar prosseguimento ao calendário do golpe, iniciando uma caça às bruxas em uma verdadeira inquisição. Vamos denunciar internacionalmente e combater o golpe continuado nas redes e nas ruas!



Lula e D. Marisa Letícia repudiam denúncia da Lava Jato

Denúncia do MPF é truque de ilusionismo; coletiva é um espetáculo deplorável

Luiz Inácio Lula da Silva e sua esposa Marisa Letícia Lula da Silva repudiam publica e veementemente a denúncia ofertada na data de hoje (14/09/2016) pelo Ministério Público Federal (MPF), baseada em peça jurídica de inconsistência cristalina. 

A denúncia em si perdeu-se em meio ao deplorável espetáculo de verborragia da manifestação da Força Tarefa da Lava Jato. O MPF elegeu Lula como “maestro de uma organização criminosa”, mas “esqueceu” do principal: a apresentação de provas dos crimes imputados. “Quem tinha poder?” Resposta: Lula. Logo, era o “comandante máximo” da “propinocracia” brasileira. Um novo país nasceu hoje sob a batuta de Deltan Dallagnol e, neste país, ser amigo e ter aliados políticos é crime. 

A farsa lulocentrica criada ataca o Estado Democrático de Direito e a inteligência dos cidadãos brasileiros. Não foi apresentado um único ato praticado por Lula, muito menos uma prova. Desde o início da Operação Lava Jato houve uma devassa na vida do ex-Presidente. Nada encontraram. Foi necessário, então, apelar para um discurso farsesco. Construíram uma tese baseada em responsabilidade objetiva, incompatível com o direito penal. O crime do Lula para a Lava Jato é ter sido presidente da República. 

O grosso do discurso de Dallagnol não tratou do objeto da real denúncia protocolada nesta data – focada fundamentalmente da suposta propriedade do imóvel 164-A do edifício Solaris, no Guarujá (SP). Sua conduta política é incompatível com o cargo de Procurador da República e com a utilização de recursos públicos do Ministério Público Federal para divulgar suas teses.

Para sustentar o impossível – a propriedade do apto 164-A, Edifício Solaris, no Guarujá – a Força Tarefa da Lava Jato valeu-se de truque de ilusionismo, promovendo um reprovável espetáculo judicial-midiático. O fato real inquestionável é que Lula e D. Marisa não são proprietários do referido imóvel, que pertence à OAS. 

Se não são proprietários, Lula e sua esposa não são também beneficiários de qualquer reforma ali feita. Não há artifício que possa mudar essa realidade. Na qualidade de seus advogados, afirmamos que nossos clientes não cometeram, portanto, crimes de corrupção passiva (CP, art. 317, caput), falsidade ideológica (CP, art. 299) ou lavagem de capitais (Lei nº 9.613/98, art. 1º). 

A denúncia não se sustenta, diante do exposto abaixo:

1- Violação às garantias da dignidade da pessoa humana, da presunção da inocência e, ainda, das regras de Comunicação Social do CNMP.

A coletiva de imprensa hoje realizada pelo MPF valeu-se de recursos públicos para aluguel de espaço e equipamentos exclusivamente para expor a imagem e a reputação de Lula e D. Marisa, em situação incompatível com a dignidade da pessoa humana e da presunção de inocência. O evento apresentou denúncia como uma condenação antecipada aos envolvidos, violando o art. 15, da Recomendação n.º 39, de agosto de 2016, do Conselho Nacional do Ministério Público, que estabelece a Política de Comunicação Social do Ministério Público.

2- Não há nada que possa justificar as acusações.

2.1 - Corrupção passiva – 
O ex-Presidente Lula e sua esposa foram denunciados pelo crime de corrupção passiva (CP, art. 317, caput), no entanto:

2.2.1 O imóvel que teria recebido as melhorias, no entanto, é de propriedade da OAS como não deixa qualquer dúvida o registro no Cartório de Registro de Imóveis (Matricula 104801, do Cartório de Registro de Imóveis do Guarujá), que é um ato dotado de fé pública. Diz a lei, nesse sentido: “Art. 1.245. Transfere-se entre vivos a propriedade mediante o registro do título translativo no Registro de Imóveis”. A denúncia não contém um único elemento que possa superar essa realidade jurídica, revelando-se, portanto, peça de ficção.

2.2.2. Confirma ser a denúncia um truque de ilusionismo o fato de o documento partir da premissa de que houve a “entrega” do imóvel a Lula sem nenhum elemento que possa justificar tal afirmação. 

2.2.3. Lula esteve uma única vez no imóvel acompanhado de D. Marisa — para conhecê-lo e verificarem se tinham interesse na compra. O ex-Presidente e os seus familiares jamais usaram o imóvel e muito menos exerceram qualquer outro atributo da propriedade, tal como disposto no art. 1.228, do Código Civil (uso, gozo e disposição).

2.2.4. D. Marisa adquiriu em 2005 uma cota-parte da Cooperativa Habitacional dos Bancários (Bancoop) que, se fosse quitada, daria direito a um imóvel no Edifício Mar Cantábrico (nome antigo do hoje Edifício Solaris). Ela fez pagamentos até 2009, quando o empreendimento foi transferido à OAS por uma decisão dos cooperados, acompanhada pelo Ministério Público do Estado de São Paulo. Diante disso, D. Marisa passou a ter a opção de usar os valores investidos como parte do pagamento de uma unidade no Edifício Solaris – que seria finalizado pela OAS — ou receber o valor do investimento de volta, em condições pré-estabelecidas. Após visitar o Edifício Solaris e verificar que não tinha interesse na aquisição da unidade 164-A que lhe foi ofertada, ela optou, em 26.11.2015, por pedir a restituição dos valores investidos. Atualmente, o valor está sendo cobrado por D. Marisa da Bancoop e da OAS por meio de ação judicial (Autos nº 1076258-69.2016.8.26.0100, em trâmite perante a 34ª. Vara Cível da Comarca de São Paulo), em fase de citação das rés.

2.2.5. Dessa forma, a primeira premissa do MPF para atribuir a Lula e sua esposa a prática do crime de corrupção passiva — a propriedade do apartamento 164-A — é inequivocamente falsa, pois tal imóvel não é e jamais foi de Lula ou de seus familiares. 

2.2.6. O MPF não conseguiu apresentar qualquer conduta irregular praticada por Lula em relação ao armazenamento do acervo presidencial. Lula foi denunciado por ser o proprietário do acervo. A denúncia se baseia, portanto, em uma responsabilidade objetiva incompatível com o direito penal

2.3 – Lavagem de Capitais 
Lula foi denunciado pelo crime de lavagem de capitais (Lei nº 9.613/98, art. 1º) sob o argumento de que teria dissimulado o recebimento de “vantagens ilícitas” da OAS, que seria “beneficiária direita de esquema de desvio de recursos no âmbito da PETROBRAS investigado pela Operação Lava Jato”. 

2.3.1 Para a configuração do crime previsto no art. 1º, da Lei nº 9.613/98, Lula e sua esposa teriam que ocultar ou dissimular bens, direitos ou valores “sabendo serem oriundos, direta ou indiretamente, de crime”.

2.3.2 Além de o ex-Presidente não ser proprietário do imóvel no Guarujá (SP) onde teriam ocorrido as “melhorias” pagas pela OAS, não foi apresentado um único elemento concreto que possa indicar que os recursos utilizados pela empresa tivessem origem em desvios da Petrobras e, muito menos, que Lula e sua esposa tivessem conhecimento dessa suposta origem ilícita.



Cristiano Zanin Martins e Roberto Teixeira


SERIADO NARCOS E PARAOLÍMPIADAS 2016



PABLO ESCOBAR é até o momento o NARCOTRAFICANTE que mais longe foi em termos de notoriedade e fortuna pessoal.

Costuma-se pensar que no final o cartel de Cali que sucedeu ao cartel de Medelin quando esse foi desmontado, saiu em vantagem. De fato o cartel de Cali tinha um mercado maior que era New York, muito maior do que o de Miami onde imperava o cartel de Medelin, e depois de Pablo Escobar, ficou também com o comércio na área de Miami, mas notoriamente se formos comparar os números, Pablo Escobar chegou muito mais longe do que todo o cartel de Cali.

No auge de seu poder, o cartel de drogas de Medellín estava contrabandeando quinze toneladas de cocaína por dia, no valor de mais de meio bilhão de dólares, para os Estados Unidos. De acordo com Roberto, ele e seu irmão gastavam 1000 dólares por semana com elásticos para embrulhar as pilhas de dinheiro, armazenando a maior parte dele em seus armazéns; 10% da fortuna tinha de ser descartada por ano devido à "deterioração" por ratos que se infiltraram à noite e mordiam as notas de cem dólares.


Pablo Escobar chegou a ser considerado o 7º homem mais rico do mundo com uma fortuna de 28 bilhões de dólares, ao passo que os três integrantes do cartel de Cali todos presos nos Estados Unidos, chegaram a ter cada um 2 bilhões de dólares. Nessa mesma época o mais rico do Brasil, no caso o Roberto Marinho, dono das organizações Globo tinha 1,5 bilhão de dólares.

Em breve, a demanda por cocaína disparou nos Estados Unidos e Pablo organizou mais remessas, rotas e redes de contrabando para distribuição no sul da Flórida, na Califórnia e em outras partes dos Estados Unidos.  
Ele e Carlos Lehder trabalharam juntos para desenvolver um novo ponto de transbordo em uma ilha das Bahamas, chamada Norman's Cay. Carlos e Robert Vesco adquiriram a maior parte do território da ilha, que incluiu uma pista de pouso de 3.300 pés, um porto, hotel, casas, barcos, aviões e até mesmo um armazém frigorífico para armazenar a cocaína.  
De 1978 a 1982, este local foi utilizado como a principal rota de contrabando do Cartel de Medellín. (De acordo com o relato de seu irmão, Pablo não comprou Norman's Cay. Era, em vez disso, um empreendimento de Carlos Lehder.) Escobar foi capaz de comprar cerca de 20 quilômetros quadrados de terras, que incluíam a Hacienda Nápoles, por vários milhões de dólares. Ele criou um jardim zoológico, um lago e outras diversões para sua família e organização criminosa. 
Em um ponto, estimou-se que 70 a 80 toneladas de cocaína estavam sendo enviadas da Colômbia para os Estados Unidos mensalmente. No auge de seu poder, em meados da década de 1980, Escobar enviava até 11 toneladas por voo em aviões para os Estados Unidos (a maior carga enviada por Pablo foi de 23 toneladas misturadas com pasta de peixes - o envio foi feito via barco, segundo seu irmão no livro "Escobar").  
Além de usar os aviões, o irmão de Pablo, Roberto Escobar, disse que ele também usava dois pequenos submarinos de controle remoto para o transporte de cargas massivas (esses veículos aquáticos eram, de fato, tripulados e isto também foi documentado no livro de Roberto).

Se Pablo Escobar não tivesse achado que era Deus e que poderia mandar nos destinos da Colômbia e fazer o que bem entendesse, com certeza estaria por ai desfrutando da sua fortuna ou pelo menos de parte dela, mas não logrou fazer isso por causa de uma lei universal. Aquela mesmo que diz  que a sementeira é opcional, mas a colheita é obrigatória.


Escobar subornou incontáveis oficiais de governos, juízes e outros políticos, e muitas vezes executou pessoalmente subordinados desobedientes. Corrupção e intimidação foram características predominantes do modo de agir de Escobar. Ele tinha uma estratégia inescapável conhecida como plata o plomo, (em Língua portuguesa, "dinheiro ou chumbo"), que significava que ou o sujeito aceitava seu dinheiro ou seria assassinado (o chumbo referia-se às balas). Escobar foi o responsável pela morte de três candidatos à presidência da Colômbia, pela explosão do voo Avianca 203 e do prédio de segurança de Bogotá em 1989. Alguns analistas acreditam que ele estava por trás do incidente na Suprema Corte Colombiana em 1985 que resultou no assassinato de metade dos juízes da corte. O Cartel de Medellín também esteve envolvido numa sangrenta guerra pelo controle do tráfico com o Cartel de Cali durante quase toda a sua existência. Pablo mandava cartas para suas vítimas, convidando-as para seus respectivos enterros, e seus capatazes as executavam precisamente na data marcada para o funeral.


Pablo Escobar assim como tantos outros bandidos, acabou colhendo o fruto da sua plantação de ódio e morte.


A Netflix colocou Pablo Escobar de volta nos holofotes. Morto em dezembro de 1993, aonde quer que o traficante esteja, ele provavelmente está contente em ver que, em pleno 2015, seu nome ainda é sinônimo de poder. 

No livro “Pablo Escobar Meu Pai – As Histórias que Não Deveríamos Saber”, lançado no Brasil em junho desse ano, seu filho, Juan Pablo, vai muito além do que é mostrado na série estrelada por Wagner Moura, retratando, entre outras coisas, como são os detalhes da rotina de uma família com dinheiro virtualmente infinito. Uma coisa é certa: Juan Pablo, que recentemente disse que considera processar a Netflix por ter usado a imagem da família sem consentimento, teve uma infância de dar inveja em muitas crianças, com dinossauros à beira da piscina e uma coleção de motos antes de chegar na puberdade.

A Fazenda Nápoles talvez fosse a síntese da megalomania escobariana. Batizada em homenagem ao pai de Al Capone, que nasceu na cidade italiana de mesmo nome, o local foi cenário de todo tipo de maluquice que o dinheiro podia comprar. 

1- Dentro da fazenda havia um zoológico aberto ao público. Em um feriado, era normal que mais de 25 mil famílias fossem até o local, atraídas pelos animais exóticos e pelo fato do passeio ser gratuito. “Gosto que as pessoas pobres possam vir e ver esse espetáculo da natureza”, dizia Pablo. 


2- Em uma das entradas do zoológico, havia um carro cheio de pequenos buracos. O veículo era resultado de uma fusão orquestrada por Pablo: o chassi da caminhonete do veículo que seu irmão Fernando dirigia quando se envolveu no acidente que o matou unido à carroceria de um Ford 1936. Depois que o carro ficou pronto, Pablo e seus homens metralharam o veículo meticulosamente para que ele tivesse os mesmos 167 furos de bala do carro em que Bonnie e Clyde morreram – Pablo era fã do lendário casal de assaltantes americanos e, no livro, Juan diz que assistiu ao lado do pai todos os filmes que Hollywood já produziu sobre eles.

Muitos anos antes de Steven Speilberg lançar Jurassic Park, Pablo mandou construir diversas réplicas de dinossauros em tamanho real e as espalhou pela fazenda. Algumas das enormes esculturas feitas de cimento pintado em cores vivas chegaram a ser danificadas em uma busca policial que suspeitou que o seu interior pudesse ocultar drogas ou dólares.

Em 1983 a fazenda serviu de locação para um comercial do refrigerante Naranja Postobón– aos 45 segundos Juan aparece de camiseta listrada com uma câmera na mão.5- Um belo dia Pablo resolveu se tornar sócio do Clube Campestre de Medellín, prestigiosa entidade que reunia os poderosos da cidade colombiana. Acontece que a diretoria do clube vetou sua entrada: por mais rico que fosse, Pablo não pertencia a uma família tradicional. A essa altura do campeonato é provável que o colombiano nem se lembrasse mais como era ser contrariado, então ele entrou em contato com alguns dos funcionários do clube e lhes ofereceu uma grande quantidade de dinheiro para que eles entrassem em greve. “Foi a primeira e talvez a única vez que o clube metido a besta fechou as portas por vários dias”, escreveu Juan. Depois de pedir para que a greve fosse prolongada, Pablo pagou uma quantia extra para que esses funcionários passeassem com um caminhão lotado de terra pelo campo de golfe do clube. Depois de deixar o gramado impraticável, a instrução era jogar a terra toda na piscina. Muito bem remunerados, os funcionários não titubearam.

Aos quatro anos de idade, Juan ganhou sua primeira moto: uma Suzuki amarela. Pablo mandou instalar rodinhas nas laterais e foi ensinando o filho diariamente até o momento em que elas não eram mais necessárias, na cena clássica do pai que larga o assento da bicicleta e vê o filho ganhando velocidade com pernas e motores próprios.

Os hábitos de higiene de Escobar eram mais uma oportunidade para ele exercer sua excentricidade: seus banhos duravam até três horas. Quando escovava os dentes, não levava menos que 45 minutos “e sempre com uma escova para crianças”, lembra o filho. Pablo também nunca ia ao cabelereiro. Ele próprio aparava a ponta do cabelo e em raras ocasiões deixava sua mulher executar o serviço.


Em 1979, quando já eram traficantes bem-sucedidos, Pablo Escobar e seu primo Gustavo Gaviria disputaram a Copa Renault, uma competição de automobilismo profissional que naquele ano aceitava inscrições também de novatos. Como havia outros traficantes participando do evento, Pablo e Gustavo brincavam que o campeonato devia ser chamado deCoca Renault. Ao ser barrado nos exames médicos que indicavam que não tinha saúde para ser um corredor, Pablo subornou os médicos e foi inscrito, terminando a temporada emquarto lugar na classificação geral.

Quando completou 11 anos, Juan tinha “quase 30” motos de alta velocidade, triciclos, quadriciclos, kars etc, além de 30 jet-skis. Aos 13, seu pai lhe deu um apartamento com “espelhos no teto, um bar meio futurista e um tapete de zebra”.

As toalhas de mesa das propriedades de Pablo eram todas bordadas a mão, em Veneza.

O corpo de Pablo Escobar.

domingo, 4 de setembro de 2016

O QUE ESCONDERAM DE NÓS SOBRE O GOLPE - COMO O MUNDO ESTÁ VENDO O GOLPE.

É importante perceber que independentemente da opinião que se tenha, há um olhar do mundo sobre o que está acontecendo no Brasil, e o olhar do mundo inteiro tem um nível de influenciação diferente do que temos aqui no Brasil, pois aqui estamos afetados pelo noticiário local que esconde fatos e deturpa os acontecimentos, por isso é importante saber o que o mundo pensa do golpe, e isso fatalmente terá influência no futuro porque a verdade pode ser escondida por um tempo, mas não por muito tempo, e a reação virá mais cedo ou mais tarde.










A VISÃO NO BRASIL





NÃO TENHO PACIÊNCIA PARA O BONNER, EU NÃO SOU AUDIÊNCIA PARA A DESILUSÃO.

A muito tempo que eu já percebi que por mais que faça eu não consigo mudar as coisas no país. Se pudesse, o Collor jamais teria sido eleito, e nem o FHC. Já percebi também que não se consegue mudar a opinião das pessoas por mais contundentes que sejam os fatos, e recentemente tenho assistido a essa palhaçada que é o julgamento de DILMA.



Já sei namorar

Já sei beijar de língua

Agora só me resta sonhar

Já sei aonde ir

Já sei onde ficar

Agora só me falta sair

Não tenho paciência pra televisão  

Eu não sou audiência para a solidão

Eu sou de ninguém

Eu sou de todo mundo eTodo mundo me quer bem

Eu sou de ninguém

Eu sou de todo mundo e

Todo mundo é meu também



Já sei namorar

Já sei chutar a bola

Agora só me falta ganhar

Não tem um juíz

Se você quer a vida em jogo

Eu quero é ser feliz

Não tenho paciência pra televisão

Eu não sou audiência para solidão

Eu sou de ninguém

Eu sou de todo mundo e

Todo mundo me quer bem

Eu sou de ninguém

Eu sou de todo mundo e

Todo mundo é meu também



Tô te querendo

Como ninguém

Tô te querendo

Como Deus quiser

Tô te querendo

Como eu te quero

Tô te querendo

Como se quer

REDAÇÃO - Publicado em 15/07/2015, às 13h02
RESUMO: Em um fato raro, o Jornal Nacional desta terça (14) teve menos audiência na Grande SP do que a novela das seis. O telejornal marcou 22,1 pontos, contra 22,6 do segundo capítulo de Além do Tempo. O SP TV 2ª Edição (23,5) e I Love Paraisópolis (23,9) também pontuaram mais. A última vez que isso ocorreu foi em 11/9, quando o JN entrava às 20h e era mais curto por causa do horário eleitoral.

Percebo nisso tudo o seguinte: Primeiro que Dilma não cometeu crime nenhum. Segundo que todos sabem disso perfeitamente bem, mas não estão nem um pouco preocupados com isso. Na verdade sua única preocupação é o fato político, portanto o JULGAMENTO é puramente político e não pelo que a acusam, o que não passa de um subterfúgio para afasta-la.



Com sinceridade eu não tenho mais estômago para ouvir discursos demagógicos de políticos condenando-a sabendo que são canalhas, vagabundos, golpistas, traidores. Não tenho mais estômago.

Eu não consigo mais nem ouvir o BONNER. Quando estou em um ambiente em que aparece o Jornal Nacional, se for o Bonner, eu saio de lá. Não o suporto mais, e nem a Renata Vasconcellos, porque percebo nas suas expressões a parcialidade, a tendenciosidade, a falta de imparcialidade que deve caracterizar o ato jornalistico.

Dessa forma venho me desinteressando por política no geral, porque as coisas não caminham como eu gostaria. Embora a economia no momento apresente indicadores positivos, porque o empresariado em geral aposta na queda do PT, isso não passa de preâmbulo para o um período de grandes problemas econômicos. 

Digo isso porque não acredito no NEOLIBERALISMO que é a receita desse pessoal. Arrocho econômico, aperto de cinto, restrição de salários, queda do consumo, enfim o adeus ao sonho de país emergente, a volta à república das bananas que é o que a elite golpista adora.

Eles adoram saber que tem muita gente pobre, morrendo nas filas, passando fome, enquanto eles passeiam com carrões de luxo. Até os automóveis já diminuíram nas estradas e assim eles podem passear com mais tranquilidade sem a concorrência dos carros dos pobres.

15/07/2016 19h58 - Atualizado em 15/07/2016 20h09

Estradas com pedágios registram menos veículos no primeiro semestre

Movimento caiu 5,9% em junho em relação ao mesmo período de 2015.
Crise econômica é um dos motivos, aponta sindicato de Araraquara (SP).


Portanto esse assunto sairá do meu radar por enquanto, e iremos falar de assuntos mais interessantes, do ponto de vista espiritual e material.


O fracasso, a desilusão, o caos, a hipocrisia, a demagogia a política no momento como um todo, a derrota não me interessam. Eu não vou dar audiência para a desilusão.